Publicado em

SÃO PAULO (Reuters) - A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) deverá decidir até julho sobre mudanças nos limites mínimo e máximo do preço spot da eletricidade, o Preço de Liquidação das Diferenças (PLD), disse nesta quarta-feira a diretora Elisa Bastos, relatora de processo sobre o tema no órgão regulador, durante evento na Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp).

Os preços spot são utilizados no chamado mercado de curto prazo de energia e influenciam as cotações no mercado livre, no qual grandes consumidores podem contratar o suprimento junto a geradores e comercializadoras, ao invés de serem atendidos por distribuidoras.

O PLD também influencia fortemente diversos outros aspectos no setor elétrico, como decisões de investimento.

O preço spot é calculado semanalmente pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), com um piso e um teto definidos pela Aneel. Os limites mínimo e máximo do PLD estão atualmente em 42,35 reais e 513,89 reais por megawatt-hora, respectivamente.

"A gente pretende abrir audiência pública ainda no final do mês de maio, e teremos um mês praticamente para contribuições. Pretendemos também fazer reuniões públicas durante a audiência. É para deliberação até julho de 2019, para que os novos limites de PLD sejam aplicados a partir de janeiro de 2020", disse Elisa.

A diretora destacou que é importante discutir a metodologia do preço neste momento até devido à previsão atual de que o PLD passe a partir de 2020 a ser calculado em base horária, e não mais semanal.

 

(Por Luciano Costa)