Publicado em

A plataforma eletrônica de negociação de contratos de energia elétrica BBCE espera obter até outubro um aval da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para atuar como operadora de mercado de balcão organizado, o que permitirá oferecer a clientes negociações com derivativos de energia, disse o presidente da empresa, Carlos Ratto.

Operações com derivativos de energia, em que investidores podem realizar apostas na evolução dos preços ou buscar proteção contra sua variação, já são realizadas entre agentes e registradas na bolsa B3, mas a ideia é oferecer negociações em tela desses contratos. A diferença entre essas operações e os negócios tradicionais de compra e venda de energia, registrados na Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), é que elas são puramente financeiras, e não envolvem a entrega física de eletricidade ao comprador.

Com isso, os agentes que pretendem operar com os derivativos não precisam aderir à CCEE e estar no mercado físico de energia, o que abrirá espaço para outros agentes nas transações, como bancos e fundos, diz Ratto. / Reuters