Publicado em

Por Karen Freifeld

NOVA YORK (Reuters) - O Citigroup e o banco francês BNP Paribas estão envolvidos no caso criminal dos EUA contra a diretora-financeira da Huawei, segundo documentos aos quais a Reuters teve acesso.    

Os bancos foram citados em documentos divulgados na terça-feira após uma audiência na Suprema Corte da Colúmbia Britânica, onde a diretora da Huawei, Meng Wanzhou, luta contra a extradição para os EUA por acusações de fraude bancária.    

Os bancos estão no grupo de ao menos quatro instituições financeiras que mantinham relações bancárias com a Huawei, quando Meng e outros supostamente os enganaram sobre seus negócios no Irã, apesar das sanções dos EUA.    

Dois outros, HSBC e Standard Chartered, foram relatados anteriormente.    

Porta-vozes do Citigroup, BNP Paribas, Standard Chartered,e o HSBC se recusaram a comentar, e também um porta-voz de procuradores dos EUA. A Huawei não respondeu de imediato a um pedido de comentar sobre a informação.    

Meng, filha do bilionário fundador da Huawei, Ren Zhengfei, foi presa no aeroporto de Vancouver em dezembro por um mandado dos EUA. Seus advogados alegam que ela foi detida ilegalmente.