Publicado em

Por Rodrigo Viga Gaier

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A estatal Eletrobras atingiu menos de 25 por cento de sua meta com um plano de demissões consensuais lançado mais cedo neste ano, o que deverá levar a novas rodadas para obter mais adesões, disse à Reuters nesta sexta-feira o presidente da companhia, Wilson Ferreira Jr.

O primeiro plano de desligamentos lançado neste ano, concluído em março, atraiu 438 funcionários, enquanto a direção da Eletrobras esperava reduzir em 2.187 vagas o quadro de pessoal.

"Como a adesão foi baixa, a perspectiva é fazer novos planos ainda este ano. A previsão desse primeiro plano era maior. Pode ser que os funcionários estejam esperando algo para tomar a decisão", disse Ferreira.

A Eletrobras planeja entrar em 2020 com aproximadamente 12 mil funcionários, contra 14 mil atualmente. A companhia estatal já chegou a ter mais de 26 mil empregados em 2016, antes de um processo de reestruturação iniciado pela gestão de Ferreira.

O objetivo com o processo é reduzir os gastos com pessoal para 4,2 bilhões de reais em 2020, ante 6,5 bilhões em 2016, segundo a companhia.

Ferreira tem conduzido um plano para recuperar a saúde financeira da Eletrobras que passa por vendas de ativos para reduzir dívida e pelos programas de desligamento.

Em paralelo, o governo federal tem discutido um plano para capitalizar a companhia por meio de uma oferta de novas ações, em uma operação que poderá reduzir a União a uma fatia minoritária na elétrica.