Publicado em

(Reuters) - A Enel e a SEAS-NVE estão entre as ao menos quatro empresas que apresentaram ofertas pelos negócios de distribuição de energia e atendimento a clientes residenciais colocados à venda pela dinamarquesa Orsted, que podem valer cerca de 2,5 bilhões de euros (2,9 bilhões de dólares), segundo diversas fontes.

A italiana Enel, cada vez mais focada em distribuição e energia limpa, passou para a segunda fase da disputa pelos ativos, segundo fontes do setor bancário. Um acordo ajudaria a Enel a diversificar seu portfólio composto majoritariamente por negócios na América Latina e sul da Europa, disse uma fonte.

Um consórcio entre Allianz e E.ON está fora da disputa, mas a E.ON ainda está interessada e pode tentar voltar para a concorrência, segundo fontes. A Allianz não está mais considerando a compra, disse uma fonte.

Outros que também passaram para a segunda rodada incluem um grupo composto pela companhia dinamarquesa SEAS-NVE e pelo maior fundo de pensão do país, ATP, além de um consórcio composto pela gestora canadense de fundos de pensão OMERS e o fundo de pensão dinamarquês PKA e o fundo de pensão canadense CDPQ, segundo fontes.

A Orsted colocou sua distribuidora de energia e seus negócios para clientes residenciais à venda em junho para focar no desenvolvimento de suas operações internacionais de energia renovável.

(Reportagem de Stephen Jewkes, em Milão; Arno Schutze e Christoph Steitz, em Frankfurt; Pamela Barbaglia e Clara Denina, em Londres; e Jacob Gronholt-Pedersen, em Copenhague)

((Tradução Redação São Paulo, 55 11 5644 7519)) REUTERS LC