Publicado em

Por Ron Bousso e Shadia Nasralla

LONDRES/ABERDEEN, Escócia (Reuters) - A Exxon Mobil chegou a um acordo para vender seus ativos noruegueses em óleo e gás por até 4 bilhões de dólares, o que marcaria a saída da empresa norte-americana da produção no país europeu após mais de um século, disseram nesta quinta-feira três fontes familiarizadas ao assunto.

A Exxon afirmou em junho que estava estudando a venda de seu portfólio "upstream" na Noruega, que inclui participações minoritárias em mais de 20 campos, operados pela produtora local Equinor e pela petroleira anglo-holandesa Shell.

Uma porta-voz da Exxon disse que, "como de costume, não comentamos discussões comerciais".

As ações da Exxon, maior petroleira de capital aberto do mundo, avançaram 1,7% em Nova York, para a máxima da sessão, depois de a Reuters noticiar o acordo para a venda.

Segundo fontes no setor, a empresa sediada em Irving, Texas, manteve negociações nas últimas semanas com uma série de partes interessadas, incluindo as norueguesas Equinor, Aker BP e DNO, a sueca Lundin Petroleum, a não-listada Var Energi, que é apoiada pela italiana Eni, e o fundo de "private equity" Hitech Vision.

Equinor, Lundin e DNO não estavam imediatamente disponíveis para comentários. A Var se recusou a comentar.

As três fontes afirmaram ainda que a Exxon concluiu o processo de venda nos últimos dias com um comprador, após chegarem a um acordo quanto aos termos da venda.

A Exxon contratou o banco de investimentos Jefferies para gerenciar o processo, disseram fontes bancárias à Reuters no mês passado.

O Jefferies se recusou a comentar.

(Reportagem de Ron Bousso e Shadia Nasralla, com reportagem adicional de Nerijus Adomaitis em Oslo e Gary McWilliams em Houston)