Publicado em

Por Heekyong Yang e Ju-min Park

(Reuters) - O fundador da Nexon, Jungju Kim, desistiu dos planos de vender uma participação majoritária em sua controladora NXC, disseram duas fontes com conhecimento direto do assunto nesta segunda-feira, potencialmente prejudicando o maior negócio da história do setor de games, que poderia chegar a 16 bilhões de dólares.

Kim queria vender a participação de 98,6% que ele e sua esposa possuem na NXC, que por sua vez possui 48% da Nexon, listada em Tóquio.

Desde que surgiu em janeiro, o plano para vender a empresa foi perseguido por desafios financeiros, pelas complexidades do relacionamento da Nexon com sua maior cliente, a Tencent Holdings e pelos sentimentos protecionistas sul-coreanos.

"Não estou escolhendo um comprador preferido em função das condições do mercado e de outros", disse o fundador bilionário em um e-mail enviado a possíveis compradores por meio do assessor Morgan Stanley, informou o jornal sul-coreano Joongang Ilbo.

O jornal informou que gigantes da tecnologia como a Tencent não aderiram ao leilão, o que contribuiu para o colapso do acordo.

A participação da Tencent foi vista como fundamental para qualquer acordo, já que ela possui a licença exclusiva da China para o Dungeon Fighter (DNF), o jogo de maior sucesso da Nexon.