Publicado em

A gigante sueca Getinge quer colocar o Brasil em rota de destaque nas operações mundiais. Especializada no fornecimento de produtos e sistemas para dar mais eficiência aos setores da saúde, a empresa pretende que País fique entre os 10 maiores mercados da marca no mundo.

Em entrevista exclusiva ao DCI, o presidente para a América Latina, Marcio Mazon, conta que a companhia – que está participando da feira Hospitalar 2019, realizada nesta semana, em São Paulo – apresenta cinco novos produtos. “No Brasil, o cenário é bastante promissor, pois temos hospitais referência em grande número e profissionais altamente conceituados. O Brasil é, inclusive, um centro procurado por pacientes do mundo todo para procedimentos em várias disciplinas”, conta.

De acordo com o executivo, há em solo brasileiro empresas de ponta na gestão de vidas, além de um volume alto de beneficiários, o que, somado ao incremento em outros países da América Latina, formam um mercado com bastante potencial. “Nossas equipes nos escritórios do México, Colômbia e Brasil estão trabalhando fortemente para colaborar para o avanço tecnológico e de infraestrutura da região.”

Hoje a sueca já atua em todo território brasileiro em áreas como a de cuidados críticos, controle de infecção e cirurgias, ventilação mecânica e cirurgias cardíacas. “Além disso, a Getinge investiu em um novo Centro de Treinamento no Brasil, que já recebeu a visita de vários clientes”, comenta.

Diante disso, a expectativa é que o crescimento da empresa no Brasil siga superior ao registrado pela saúde suplementar, com destaque também para o forte avanço da rede de distribuidores. Hoje o Brasil figura como o 13º maior mercado do grupo sueco no mundo, e o objetivo é que integre os 10 maiores nos próximos anos.

Ajuda de peso

Considerada uma das maiores feiras de saúde do mundo, a edição deste ano da Hospitalar, segue até o próximo dia 24 e conta com 1,2 mil expositores. O evento, que traz ao público novidades e tendências de mercado é considerado um termômetro da atividade da cadeia de saúde suplementar e costuma balizar os caminhos que serão adotados no setor nos próximos anos.

“Somos veteranos em participações na Hospitalar, que já caminha para 26ª edição e reafirma sua posição de fonte de geração de oportunidades de negócios e desenvolvimento tecnológico do setor”, resume Marcio Mazon. Além de tendências, a feira também trata de assunto sensíveis a este setor, como telemedicina e sustentabilidade das empresas.