Publicado em

O ministro da Economia, Paulo Guedes, admitiu, ontem, que a projeção de crescimento do governo para a economia neste ano caiu para 1,5%, e que, se isso for confirmado, será necessário contingenciar ainda mais os gastos públicos.

“Vocês vão ver que o crescimento que era 2% quando eles fizeram as primeiras informações já caiu para 1,5%, e quando cai para 1,5% as receitas são menores ainda, e aí já começam os planejamentos de contigenciamento de verbas para frente”, disse Guedes na Comissão Mista do Orçamento.

O Banco Central (BC) também apontou em sua ata do Comitê de Política Monetária (Copom), divulgada ontem, uma "probabilidade relevante" de que a economia brasileira tenha recuado ligeiramente no primeiro trimestre deste ano sobre os três meses anteriores.

Na segunda-feira (13), o mercado, por meio do boletim Focus, já havia revisto, para baixo, a estimativa de avanço da atividade econômica em 2019, de 1,49% para 1,45%. Individualmente, Itau Unibanco e Bradesco soltaram projeções ainda menores para este ano: ao redor de 1%.

Segundo Guedes, “não adianta achar que vamos crescer 3%, a realidade é que estamos no fundo do poço”. PÁGINA 5