Publicado em

LONDRES (Reuters) - O Irã não permitirá que qualquer país substitua suas vendas de petróleo no mercado global, afirmou nesta quinta-feira o Ministério das Relações Exteriores da nação, após os Estados Unidos exigirem que importadores paralisem compras do produto iraniano a partir de maio.

Washington decidiu não renovar as isenções que dava a oito compradores de petróleo do Irã, apertando suas sanções ao país asiático.

"A República Islâmica do Irã não permitirá que qualquer país substitua o Irã no mercado do petróleo. Os Estados Unidos e esses países serão responsáveis por quaisquer consequências", disse o porta-voz da pasta, Abbas Mousavi.

O porta-voz, cujos comentários foram divulgados pela agência de notícias Fars, condenou Arábia Saudita, maior exportadora mundial de petróleo, e Bahrein por acolherem as sanções norte-americanas sobre Teerã.

Mousavi chamou as sanções dos EUA de "ilegais, cruéis e motivadas por bullying", acrescentando que "estamos esperançosos de que os compradores de petróleo do Irã que se manifestaram contrários a esta ação unilateral em seus comentários também tomem medidas".

(Reportagem de Bozorgmehr Sharafedin)