Publicado em

A nota enviada anteriormente continha incorreções no último parágrafo, referente aos lotes vencidos por companhia. Segue a nota corrigida.

 

Os vencedores dos 16 lotes ofertados no leilão de transmissão que foi encerrado na tarde desta quinta-feira, 20, na sede da B3, em São Paulo, ofertaram um deságio médio de 46%. Ao todo, a Receita Anual Permitida (RAP) de todos os projetos chega a R$ 1,153 bilhão, ante uma RAP máxima de R$ 2,139 bilhões.

A Neoenergia conquistou os principais lotes do leilão, incluindo o maior deles, o lote número 1, e também os lotes 2, 3 e 14. A receita anual permitida da companhia nesses quatro projetos supera os R$ 500 milhões.

Dos R$ 13 bilhões em investimentos viabilizados com o leilão, a Neoenergia vai responder por aproximadamente R$ 6,1 bilhões.

Dentre as principais empresas de energia, destaque para CPFL, que venceu os lotes 5 e 11, Energisa, com o lote 4, e Taesa, vencedora do lote 12. Também participaram da disputa CTEEP, Engie, EDP e Alupar, que, no entanto, não obtiveram sucesso com suas propostas.