Publicado em

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) disse hoje prever que sua oferta de petróleo diminuirá continuamente nos próximos cinco anos, sugerindo que o cartel poderá ter de manter a estratégia de restringir a produção para estabilizar os preços da commodity em meio a uma expansão maior do que se previa na produção dos Estados Unidos e demanda fraca.

A Opep e aliados que incluem a Rússia vão debater se devem manter ou aprofundar os cortes na produção combinada, atualmente em 1,2 milhão de barris por dia (bpd), durante reunião marcada para 5 de dezembro.

Apesar das amplas restrições dos últimos dois anos, a Opep projeta em relatório anual de perspectiva que sua oferta sofrerá uma queda adicional de 1,6 milhão de bpd até 2025. No ano passado, o grupo havia previsto que sua produção cresceria 500 mil bpd no período.

No relatório, divulgado nesta terça-feira, a Opep disse que a mudança na previsão está relacionada a um aumento mais veloz do que o previsto da produção de óleo de xisto dos EUA. Segundo o cartel, a oferta americana de óleo de xisto deverá crescer em 6,7 milhões de bpd no médio prazo.

Os planos de produção da Opep também serão atingidos pelo avanço mais contido da demanda global por petróleo, em meio a crescentes incertezas econômicas e à medida que governos implementam políticas para mitigar mudanças climáticas.

No documento, a Opep estima que o aumento da demanda global por petróleo vai desacelerar de 1,1 milhão de bpd em 2019 para 900 mil bpd em 2024. Fonte: Dow Jones Newswires.