Publicado em

Por Laila Kearney

NOVA YORK (Reuters) - Os preços do petróleo recuaram 3 por cento nesta sexta-feira, após o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, voltar a pressionar a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) para que aumente a produção petrolífera visando aliviar os preços da gasolina.

Realizações de lucros após a maior série de alta do mercado petrolífero em ao menos um ano também ajudaram a derrubar os preços devido a questões técnicas que aceleraram a queda, segundo analistas.

Os contratos futuros do petróleo Brent fecharam a 72,15 dólares por barril, queda de 2,20 dólares, ou 3 por cento. O petróleo norte-americano fechou a 63,30 dólares/barril, recuando 1,91 dólar, ou 2,9 por cento.

O Brent encerrou a semana estável, depois de registrar ralis por quatro semanas consecutivas. Já o WTI teve perda semanal de 1,2 por cento, encerrando seis semanas de ganhos.

Na quinta-feira, o Brent ultrapassou os 75 dólares/barril pela primeira vez no ano, após Alemanha, Polônia e Eslováquia suspenderem importações de petróleo russo através de um importante oleoduto devido a contaminações. A Rússia planeja retomar as operações do oleoduto de Druzhba em duas semanas.

Trump disse a repórteres nesta sexta-feira que ligou para a Opep e pediu ao cartel para que reduzisse os preços do petróleo, sem identificar com quem falou.

"O comentário, assim que surgiu, foi munição o suficiente para que o pessoal ampliasse as posições compradas", disse Josh Graves, estrategista sênior de commodities da RJO Futures. "Eles retiraram as fichas da mesa ao primeiro sinal de notícias baixistas", após várias semanas de ganhos, acrescentou.

(Reportagem adicional de Shadia Nasralla e Henning Gloystein)