Publicado em

(Reuters) - O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta terça-feira que o governador da Bahia, Rui Costa (PT), vetou a presença da Polícia Militar na inauguração do aeroporto de Vitória da Conquista, após o chefe do Executivo estadual ter decidido não comparecer ao evento que terá a presença de Bolsonaro.

"Lamentável a decisão do governador da Bahia que não autorizou a presença da Polícia Militar para a nossa segurança. Pior ainda, passou a responsabilidade de tal negativa ao seu Comandante-Geral", disse Bolsonaro no Twitter antes da inauguração.

O governo da Bahia não respondeu de imediato a um pedido de comentário sobre a declaração do presidente.

Na segunda-feira, o governador da Bahia anunciou que não iria comparecer à inauguração do aeroporto de Vitória da Conquista e acusou Bolsonaro de ter agredido e ofendido o povo baiano. Costa afirmou que o Palácio do Planalto passou a controlar o evento e restringir a entrada da população. [nL2N24N19G]

A visita de Bolsonaro à Bahia ocorre na esteira de uma crise criada pela fala do presidente em uma conversa com o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, antes de iniciar um café com jornalistas estrangeiros, na sexta-feira passada.

Sem ver que o microfone estava captando a conversa, Bolsonaro disse: "Daqueles governadores de 'paraíba', o pior é o do Maranhão; tem que ter nada com esse cara."

Depois, em entrevistas, Bolsonaro negou que tivesse chamado os nordestinos de "paraíbas", uma forma pejorativa de se referir às pessoas da região. Primeiro, pelo Twitter, afirmou que apenas havia dito "daqueles governadores". Depois, em entrevista, garantiu que estava criticando os governadores do Maranhão e da Paraíba.

 

(Por Pedro Fonseca, no Rio de Janeiro)