Publicado em

Em evento sobre combate à corrupção, o ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sergio Moro, disse que o presidente Jair Bolsonaro é "uma pessoa muito íntegra".

"Não entendam como autoelogio, mas é ponto positivo do atual governo. O presidente Jair Bolsonaro é uma pessoa muito íntegra, todo mundo que o conhece atesta isso", disse Moro nesta terça-feira, 3.

O ministro reconheceu que casos de corrupção "podem existir" na administração federal, mas disse que no passado a prática estava "incrustada".

"Pessoal acha que é até propaganda política, mas escândalos de corrupção... claro que a gente sabe que em uma máquina gigantesca da administração federal podem existir casos de desvio de conduta, casos de corrupção. Mas vamos fazer paralelo com o passado, em que havia esquemas sistemáticos de suborno, corrupção, incrustados na administração pública", declarou o ministro.

Moro discursou no fórum "Controle no Combate à Corrupção", em Brasília, organizado pela Controladoria-Geral da União (CGU).

Na mesma cerimônia, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, disse que o País mudou graças à coragem de brasileiros como Moro, por seu papel na Lava Jato.

"Acho que o governo vai muito bem. Não falo pessoalmente no Ministério da Justiça, falo dos diversos ministérios e da Presidência", afirmou Moro.

Moro defendeu ainda a permanência da estrutura atual do ministério, mesmo que ele esteja fora da pasta. Mas advertiu que a declaração não é sinal de que está saindo do posto.

"Independente da minha permanência no ministério... não vão dizer aqui que estou saindo... mas evidentemente ninguém vai ficar para sempre, mas acho que é melhor a atual estrutura, 'Justiça' e 'Segurança Pública' (juntas). Acho que ministério fica mais forte. Fica sugestão para se manter essa estrutura independentemente de quem ocupe", disse Moro.