Publicado em

OTTAWA, Canadá - O Grupo de Lima, que apóia a oposição na Venezuela, vai se reunir na Guatemala em 6 de junho, afirmou nesta terça-feira a ministra de Relações Exteriores do Canadá, Chrystia Freeland.

O grupo de cerca de doze países, que inclui Canadá, Brasil, Argentina e Chile, reconhece o chefe da oposição venezuelana, Juan Guaidó, como líder legítimo do país e exige a renúncia do presidente Nicolás Maduro.

Guaidó invocou a constituição para assumir uma presidência interina em janeiro, dizendo que a reeleição de Maduro não era legítima. A maioria dos países ocidentais apoiou-o como chefe de Estado.

Maduro denunciou Guaidó como um fantoche dos Estados Unidos que está tentando fomentar um golpe.

Freeland disse aos legisladores nesta terça-feira: "A situação na Venezuela é uma tragédia... houve pelo regime de Maduro um desmantelamento sistemático e intencional da democracia venezuelana."

Ela disse que estará na Guatemala para a reunião da próxima semana e acrescentou que três membros do Grupo Lima - Canadá, Chile e Peru - se reunirão com o Grupo de Contato Internacional da Venezuela em 3 de junho em Nova York para continuar o trabalho com parceiros internacionais.

Freeland também disse que discutiu a crise com o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, nesta terça-feira.