Publicado em

Candidato a vice na chapa petista e apontado como provável substituto em caso de impedimento da candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Fernando Haddad escolheu o tucano Geraldo Alckmin como principal alvo de suas críticas durante o "debate paralelo" promovido pelo PT nas redes sociais como alternativa à ausência do representante do partido no debate entre presidenciáveis na TV Band. Por diversas vezes, Haddad ligou a imagem de Alckmin ao governo do presidente Michel Temer, cuja impopularidade é recorde.

As críticas eram seguidas de propostas do programa petista de governo. A conversa foi entremeada por vídeos nos quais Lula comentava assuntos como educação, geração de empregos e a "injustiça" de sua condenação. Antes do debate, Haddad leu uma carta na qual Lula defende sua candidatura.

Manuela d’Ávila (PCdoB), que desistiu da candidatura à Presidência para apoiar a chapa petista, a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, e o ex-presidente da Petrobras Sérgio Gabrielli, também participaram do debate. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.