Publicado em

A líder do governo no Congresso, Joice Hasselmann (PSL-SP), citou a possibilidade de a recriação de dois ministérios ser revertida na Câmara ou no Senado durante a análise da medida provisória que reconfigurou a estrutura administrativa do governo. A recriação das pastas das Cidades e da Integração Nacional entrou no parecer do relator da MP na comissão mista do Congresso, senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE). O texto poderá ser votado no colegiado nesta quarta-feira, 8.

A líder destacou que os humores são "instáveis" na Câmara e no Senado. "Se acalme. A gente ainda tem o plenário pela frente, tem Câmara, tem Senado. Dá para fazer tudo. A gente tem que esperar o curso da água correr", declarou. "Então a gente tem que ir sentindo a pavimentação do caminho para ver se tem clima eventualmente para reverter, isso sempre no acordo, porque sem acordo não passa nada, ou se a gente mantém como está e acabou", comentou.

Joice destacou o compromisso do governo com o enxugamento da máquina pública. "Não vale pena, em um momento de reconstrução de um novo país, construção de base, entrar em racha, então a questão é fazer um bom acordo e respeitar o que é uma linha mestra do governo, que é um Estado mais enxuto."

Coaf

A parlamentar disse que, "de qualquer maneira", o governo vai lutar para manter o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) sob o guarda-chuva do Ministério da Justiça e Segurança Pública. O Centrão articula um movimento para que o órgão volte à estrutura do Ministério da Economia e ainda promete obstruir a sessão de votação da MP amanhã na comissão mista. A líder afirmou que conversará com os líderes do Centrão para reverter a reação.

Ela ainda negou que a recriação de dois ministérios tenha sido um aceno aos parlamentares em prol de manter o Coaf no Ministério da Justiça. "Não tem troca disso e daquilo."

Olavo x militares

Joice evitou defender ou criticar o escritor Olavo de Carvalho e os militares do Planalto em meio aos mais recentes embates entre as duas alas. Em entrevista no Senado, ela declarou que tanto um quanto os outros são "importantíssimos".

"Eu não falo sobre isso. O Olavo é meu amigo, os militares são meus amigos. Acho que ambos são importantíssimos", disse Joice, se afastando de comentar se havia desgaste com os embates. "Não é problema da líder do governo no Congresso, eu não me meto em questões que envolvam disputa de tuíte pra lá ou pra cá", afirmou a líder, emendando ser favorável à "pacificação nacional".