Publicado em

BARILOCHE (ARGENTINA) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu nesta sexta-feira (28), em discurso na reunião da União das Nações Sul-Americanas (Unasul), garantias sobre o acordo entre a Colômbia e os Estados Unidos, para instalação de bases militares americanas em território colombiano. Lula alegou que, se as bases militares americanas estão em território colombiano desde a década de 50 e não solucionaram o problema do narcotráfico até hoje, seria o momento de rever esse plano.

Ele defendeu que as próprias nações sul-americanas encontrem a solução para tal problema, sem a participação de outros países. "O que queremos é que, quando o companheiro Uribe [Álvaro Uribe, presidente colombiano] tenta mostrar que as bases já existem na Colômbia desde 1952, eu queria dizer, de maneira muito carinhosa, que, se as bases americanas estão na Colômbia desde 1952 e ainda não há soluções para o problema, deveríamos pensar em outra coisa que pudéssemos fazer em conjunto para resolver os problemas."

Lula, cuja atuação na cúpula é vista como essencial para aliviar a tensão regional causada pelo acordo, também pediu garantias de que as operações não violarão os territórios de países sul-americanos.

O presidente brasileiro propôs que a questão do combate ao narcotráfico no continente seja tratada por um conselho específico da Unasul e ressaltou que uma conversa entre a cúpula e o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, é fundamental para esclarecer dúvidas sobre as reais intenções do país na América Latina. Lula disse que ainda aguarda uma resposta de Obama ao convite para um encontro com líderes sul-americanos para discutir o assunto.

A despeito de Álvaro Uribe alegar que a parceria com os norte-americanos é apenas para o combate ao narcotráfico, os país vizinhos à Colômbia temem ingerência dos Estados Unidos na região. Lula cobrou do presidente colombiano garantias jurídicas de que os norte-americanos não vão extrapolar os termos previstos no acordo.