Publicado em

O Planalto espera que o relator da reforma da Previdência na comissão especial da Câmara acolha sugestões de líderes, mas "sem distorcer demais o texto" a ponto de ameaçar a economia fiscal de R$ 1 trilhão em dez anos. A afirmação é da líder do governo no Congresso, Joice Hasselmann (PSL-SP).

Ela voltou a sinalizar que o governo vai ceder nas mudanças do Benefício de Prestação Continuada (BPC) e da aposentadoria rural propostas no texto.

"Pode ser que saia completamente, pode ser que mude, mas do jeito que está os líderes já deixaram bem claro que o BPC e o rural eles não querem e a gente está disposto a conversar, sim, e a ceder no que for necessário", declarou a deputada, ao chegar para reunião na residência do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).