Publicado em

Uma vez definidas as chapas que participarão da corrida ao Planalto, representantes para a área de educação das campanhas presidenciáveis divulgaram novas propostas para o ensino durante encontro realizado em São Paulo (SP).

Secretário municipal de Planejamento Estratégico e Gestão da Prefeitura de Mesquita (RJ) e um dos coordenadores da área de educação na campanha de Geraldo Alckmin (PSDB), o cientista social Eduardo Pádua afirmou que a proposta de cobrança de mensalidades na pós-graduação em universidades públicas – expressa pelo tucano na última quinta-feira (2)  – estaria restrita aos cursos lato sensu (como o MBA e outras especializações). Já os programas de mestrado e doutorado (stricto sensu) não seriam afetados. 

O membro da campanha tucana também afirmou que Alckmin cogita, se eleito, trazer os cuidados com educação na primeira infância para o gabinete presidencial. Pádua ainda sinalizou que a equipe do candidato está "fazendo contas para saber como aumentar significativamente" os salários de professores.

Professor da Fundação Getulio Vargas (FGV-SP), o economista Nelson Marconi representou a campanha de Ciro Gomes (PDT). O acadêmico defendeu estímulos para Estados e municípios adotarem o ensino integral, uma maior interlocução com entidades públicas e privadas de pesquisa tecnológica e a revogação da Emenda Constitucional nº 95, que institui um teto de gastos para o governo, afetando assim a destinação de recursos para a área. 

Coordenador licenciado da Campanha Nacional pelo Direito à Educação (CNDE) e pré-candidato do Psol ao Senado paulista, o educador e cientista político Daniel Cara marcou presença como representante do candidato Guilherme Boulos, do mesmo partido. O especialista também defendeu a revogação do teto dos gastos. "Se [a emenda] não for retirada, não avançaremos em educação", afirmou. 

O representante do Psol ainda defendeu um novo modelo para o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), que distribui recursos para Estados e municípios, além de uma auditoria no Programa Universidade para Todos (ProUni) e no Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). 

Cara, Marconi e Pádua discutiram as propostas em debate realizado pela Associação de Jornalistas de Educação (Jeduca), em São Paulo. Convidados, representantes dos demais presidenciáveis não compareceram.