Publicado em

SÃO PAULO - O estado de São Paulo aderiu hoje (25) ao Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci). O convênio foi assinado em São Paulo pelo ministro da Justiça, Tarso Genro, e o governador do estado, José Serra.

"O Pronasci seria um projeto capenga se não tivesse a adesão de São Paulo. Não somente pela importância política que tem São Paulo, mas também pela liderança política do governador do estado", disse o ministro.

O acordo prevê, ao todo, 22 metas locais, entre elas, a construção de estabelecimentos penais para jovens de 18 a 24 anos, o desenvolvimento de ações de direitos humanos e a implantação de uma política nacional de enfrentamento de tráfico de pessoas. Além disso, está prevista a manutenção de um Gabinete de Gestão Integrada de segurança pública (GGI). O GGI é composto por integrantes da Secretaria de Segurança Pública, polícias Federal, Rodoviária Federal, Civil e Militar, representantes do Sistema Penitenciário Estadual, Tribunal de Justiça, Ministério Público e Secretaria Nacional de Segurança Pública. O gabinete busca o planejamento de ações policiais, intercâmbio de informações e uso compartilhado de recursos para combate ao crime organizado.

O Pronasci é um programa composto por 94 ações nacionais e destinado a prevenir, controlar e repreender a criminalidade, valorizando atividades sócio-culturais e articulando ações de segurança pública com políticas sociais por meio da integração entre União, estados e municípios. Para o desenvolvimento do programa, o governo federal vai investir R$ 6,707 bilhões até 2012.

Inicialmente, o Pronasci vai ser implementado em 11 regiões metropolitanas brasileiras consideradas mais violentas: Belém, Belo Horizonte, Brasília (Entorno), Curitiba, Maceió, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador, São Paulo e Vitória.

(com Agência Brasil)