Publicado em

Pelo menos 30 senadores assinaram um manifesto pedindo que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) vete integralmente o projeto de lei de abuso de autoridade, aprovado na Câmara dos Deputados na última quarta-feira, dia 14.

A lista de signatários tem parlamentares do Podemos, PSB, Rede, Cidadania, PP, Patriota, PSD, PP, PSL, PSD, PSDB, PL e PSC. O líder do PSL no Senado, Major Olimpio (SP) foi um dos que assinaram o manifesto.

Junto a outros senadores, Olimpio participou de um protesto de auditores-fiscais contra “ataques” ao órgão e o afastamento de dois servidores da Receita de suas atividades pelo Supremo Tribunal Federal (STF) depois de vazamento de investigação contra o ministro Gilmar Mendes. Ele também defendeu a instalação da CPI “Lava Togas”. “É preciso que se busque equilíbrio entre os poderes.”

Na Câmara, o líder do governo, Major Vitor Hugo (PSL-GO), entidades e o Ministério Público Federal apresentaram novas sugestões de veto de trechos da lei de abuso de autoridade que está com o presidente para sanção, veto total ou parcial e tem até dia 5 de setembro para decidir

Vitor Hugo e entidades afetadas por eventuais mudanças no projeto sugeriram veto a 10 pontos do texto. Em outro documento, integrantes do MPF apresentaram sugestões de veto a nove artigos à Secretaria de Governo e ao Ministério da Justiça e Segurança Pública.