Publicado em

O Supremo Tribunal Federal (STF) definiu que a Justiça Eleitoral deve processar crimes como corrupção e lavagem quando são conexos a delitos eleitorais, com caixa dois.

Suprema Corte formou maioria contrária ao pedido da PGR, que entende pela separação das investigações. Para procuradores, a Justiça Eleitoral não tem a estrutura adequada para processar crimes complexos como corrupção e lavagem.

Os ministros discutem a questão através de um inquérito envolvendo o ex-prefeito do Rio de Janeiro Eduardo Paes (DEM) e o deputado federal Pedro Paulo (DEM-RJ), que apura indícios de caixa dois, corrupção, lavagem e evasão de divisas.