Publicado em

Em semana decisiva para a Reforma da Previdência, o presidente Jair Bolsonaro lançou a reedição de um programa de incentivo ao voluntariado e disse que o trabalho de agentes públicos é comparável ao de voluntários. Ele também afirmou que o voto de deputados e senadores é "muito importante" e deve "vir do coração".

"O momento que passamos aqui hoje, quando se fala em voluntariado, isso começa no nosso trabalho. E vocês sabem que o trabalho de vocês é importante, vocês são voluntários também, e o que vocês fazem nos seus respectivos ministérios de forma corajosa, altruísta... Vocês sabem que muita gente depende de vocês", disse.

Ao citar deputados e senadores, Bolsonaro disse que o voto "sim ou não dos parlamentares é muito importante". "O voto de vocês deve vir do coração", declarou. Vamos juntos fazer um Brasil melhor porque todos somos voluntários."

Moro

Sem citar diretamente o ministro Sérgio Moro (Justiça) e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Bolsonaro falou que "teve um homem lá atrás que teve muita coragem, primeiro quando decidiu pela condenação de um outro". "E esse mesmo homem renunciou a uma vida pregressa para continuar aqui e continuar fazendo mais. O ser humano não tem limites", discursou Bolsonaro.

No centro de uma polêmica por conta de supostos diálogos com a força-tarefa da Lava Jato em Curitiba, o ministro da Justiça ficará afastado do cargo na próxima semana "para tratar de assuntos particulares". A licença vai valer de 15 a 19 de julho e foi autorizada por despacho presidencial publicado ontem no Diário Oficial da União. A assessoria do ministério acrescentou que se trata de uma licença não remunerada prevista em lei.

Evento

Em moldes semelhantes ao do programa "Viva Voluntário", lançado no governo do ex-presidente Michel Temer, Bolsonaro participou hoje do lançamento do novo Programa Nacional de Incentivo ao Voluntariado: o Pátria Voluntária. A primeira-dama, Michelle, será a presidente do conselho, que também é composto por 12 ministros do governo. A mulher de Sergio Moro, Rosângela, está entre os 12 integrantes do Conselho que representam a sociedade civil, junto a nomes como o da cantora Elba Ramalho.