Publicado em

SÃO PAULO - Uma startup de Uberlândia (MG) criou um aplicativo para que as pessoas se conectem com mais facilidade às redes de Wi-Fi de bares, restaurantes e outros estabelecimentos particulares. A plataforma permite que o comerciante crie um QR Code (espécie de código expresso em uma imagem pixelizada) referente a sua conexão. A imagem é impressa em um banner que o cliente "lê" com a câmera do smartphone e, assim, se conecta automaticamente à rede sem precisar inserir a senha.



O app Pluy, assim batizado pelo seu criador, o baiano Pedro Paulo Silveira, permite também que o dono de um restaurante, por exemplo, disponibilize conteúdos sobre o local no momento em que é feita a conexão. Assim, o cliente pode visualizar as promoções do dia, eventos ou até mesmo o cardápio completo dentro da plataforma em seu smartphone.



Esse, inclusive, é o modelo de monetização que será implantado a partir de janeiro de 2017 na startup, que está em operação há apenas três meses. "Nós venderemos uma assinatura, onde disponibilizaremos um módulo que o dono do estabelecimento poderá preencher com o conteúdo que quiser mostrar ao seu cliente", explica o CEO da empresa. Além disso, o negócio pretende faturar com publicidade dentro do app.



Informação em duas mãos



Segundo Silveira, ao utilizar o programa o comerciante tem ainda a possibilidade de coletar informações sobre o seu público. "Nós também estamos inseridos no mercado Big Data (processamento de grande volume de dados) e fornecemos dados como sexo e idade das pessoas que se conectaram, para que os proprietários possam conhecer melhor sua clientela", explica.



O empreendedor diz que o QR Code pode ser gerado por qualquer pessoa a partir do site do Pluy. Basta informar o nome e a senha de sua rede e a imagem fica disponível para que seja feita a conexão. Ele diz que a estratégia é fazer com que cada vez mais pessoas usem o aplicativo.



"Nosso foco de venda é em estabelecimentos onde as pessoas costumam ficar bastante tempo a ponto de querer pedir a internet, além também de ter um grande fluxo de entradas e saídas", explica. Ele revela que o app já tem cerca de 5 mil downloads e que foram criadas 150 redes, sendo que 40% desse total é de locais de comércio.



A empresa foi uma das 50 finalistas do Acelera Startup, programa da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), que recebeu mais de 6 mil inscrições. Além disso, foi selecionada para o Fb Start, projeto do Facebook para empresas nascentes que oferece mentorias e ferramentas para o desenvolvimento dos projetos.



O Pluy, que começou a ser desenvolvido com recursos próprios, não é o primeiro aplicativo de Silveira. De acordo com o CEO, sua outra plataforma para smartphones, Manual Hacker, tem cerca de 300 mil usuários ativos em mais de 30 países. O programa é focado na segurança da informação e oferece ferramentas para que a pessoa gerencie suas redes.



Segundo o empreendedor, o Pluy tem cadastros registrados no Brasil inteiro, mas, a maioria se concentra em Minas Gerais, Curitiba e São Paulo. A ideia é expandir o projeto para mais cidades e encontrar investidores.