Publicado em

SÃO PAULO - Monitorar o consumo de energia elétrica para evitar gasto desnecessário na contas de luz. Esse é o objetivo do equipamento desenvolvido pela startup mineira Newatt, fundada em novembro de 2015. Com sedes em Belo Horizonte e Amsterdã, na Holanda, a empresa oferece um dispositivo que monitora o consumo de energia, enviando alarmes para um aplicativo, no celular, e painel de controle, no computador.



A utilização do aparelho é simplificada, como conta Matheus Rungue, CEO da Newatt. "Não precisa furar parede. Você coloca um sensor ao redor do cabo e já começa a medição", explica. Depois de "abraçar" o fio do equipamento que se quer medir o consumo de energia, basta apertar um botão no dispositivo para conectá-lo à nuvem, onde os dados serão armazenados e depois disponibilizado nas plataformas desenvolvidas pela startup.



"A gente quer democratizar a gestão de energia elétrica", afirma Rungue. Ele cita que o Brasil sofre com um grave problema de desperdício de energia e que, para empresas com grande número de lojas para monitorar, os valores das contas de luz são altos, mas que para pequenos e médios varejistas é pior. "Eles não têm acesso a soluções desse tipo, porque são muito caras, pelo menos R$ 30 mil."



Apesar de já ter definido seu modelo comercial, em que cobra mensalidade de R$ 30 por ponto instalado, a Newatt está em fase teste de seus dispositivos em projetos pilotos. Entre os casos de avalição, está a rede de sanduíches Subway. "Conseguimos reduzir a conta do ar-condicionado deles", afirma Rungue. Ele diz que a dificuldade da empresa residia no fato de que havia um responsável, para cada oito lojas, pela vistoria do equipamento de refrigeração.



Acelerada pela Startup Farm e pela holandesa Rockstart, a empresa mineira diz ter trazido os aparelhos mais novos do setor elétrico. Por ter ficado seis meses em Amsterdã, Rungue diz que entrou em contato com o melhor da tecnologia da área. "Na Europa, essas soluções de gestão de energia já são mais desenvolvidas."



Com atuação no Subway, em supermercados de Minas Gerais e duas residências, a startup tem 35 pontos instalados e, neste mês, irá instalar mais 120. A perspectiva é de chegar em 3.000 pontos de instalação em 500 locais dos mais variados setores.



Apesar de não divulgar o faturamento do começo do ano até então, período em que a Newatt está em operação comercial, a projeção é de alcançar o ponto de equilíbrio nas contas em maio de 2018.