Publicado em

SÃO PAULO - Inspirados em um produto desenvolvido no Japão e que ganhou escala nos Estados Unidos, Rodrigo e seu pai, Djalma Moreira, observaram a oportunidade no mercado nacional e desenvolveram uma máquina que enche copos de chopps de baixo para cima. A ideia tem dado certo, tanto que já projetam expansão de produção, atuação no exterior e abertura de franquia.



Os empreendedores convenceram o público de que seu negócio, a ChoppUp, seria promissor.  Em abril, captaram R$ 1,4 milhão, sendo R$ 400 mil por meio da plataforma de equity crowdfunding Broota. O montante será destinado à aceleração da produção de máquinas. A meta é atingir 500 unidades até o fim do ano e atuar em outros Estados.



Esse método para encher os copos de forma inversa é possível por conta da tecnologia desenvolvida pela dupla. Por meio da internet das coisas, a máquina possui um visor onde é possível selecionar o tamanho do copo (entre 300 mililitros  e 500 mililitros) e o tamanho do colarinho (entre nada e dois dedos).



Os copos, de plástico ou vidro, também são fabricados pela startup. A diferença é que o item vem com uma válvula e um vedante. Essa vedação é feita assim que o copo é retirado da máquina, já com o líquido em seu interior. 



Depois de selecionar as opções de como gostaria de servir o chopp, o usuário encaixa o copo na máquina e o enchimento acontece automaticamente.



Produção



O desenvolvimento do produto começou em 2011. Depois de muitas tentativas e oito versões produzidas, a máquina ficou pronta para a comercialização há menos de um ano, em junho de 2016.



A produção é própria e os empreendedores já possuem 100 máquinas, que são alugadas para eventos. A cobrança é realizada pela quantidade de litros consumidos ou um pacote fechado, com a participação no faturamento da festa.



Djalma e Rodrigo Moreira fazem quase tudo na pequena empresa, sediada em São Paulo. Atuam tanto na produção quanto no transporte e instalação dos equipamentos nos estabelecimentos clientes.



Embora contem com atendentes para ajudar a cobrir eventos simultâneos, a empresa está limitada à região da capital paulista e algumas cidades mais próximas. Para ingressar em outros Estados, a ChoppUp contará com franqueados.



"O franqueado poderá locar as máquinas na região de sua atuação", explica Rodrigo Moreira. Segundo ele, outra finalidade para o aporte recebido é em relação à presença em bares e restaurantes. A startup pretende iniciar no segundo semestre o modelo de aluguel em bares e restaurantes, ou seja, com receitas recorrentes.