Publicado em

São Paulo - Com o aumento no número de carros usados no País e a perspectiva de vendas da indústria de automóveis, as empresas especializadas na troca de óleo esperam ampliar em 2015. Segundo a Oil Box e a Doutor Lubrifica, o segredo está no modelo de franquias.

De acordo com o diretor-presidente da consultoria Global Franchise, Paulo Cesar Mauro, para que este modelo de negócios dê certo, é necessário que as franquias ofereçam serviços diferenciados dos postos de gasolina e centros automotivos. Por exemplo, serviço rápido, em domicílio e até com preços competitivos. "Pode ser lucrativo, sobretudo, em cidades grandes, onde as pessoas não possuem tempo para esperar pelo atendimento." Além de oferecer o serviço básico, as redes especializadas também realizam troca de filtro de óleo, de ar condicionado, ar do motor, limpeza do sistema de refrigeração.

Um exemplo é a rede Oil Box que iniciou seu plano de expansão no modelo de franquias em 2014 e já possui negociações avançadas para os próximos meses. A expectativa da rede é de abrir 10 novas lojas em 2015 no interior de São Paulo e na capital. "Se conseguirmos atingir a meta é provável que o faturamento tenha alta de 50%", explicou o diretor da consultoria Dubnet Varejo & Franchising, Danilo Kindro Andreoli.

Segundo a Dubnet - que faz o planejamento de expansão da franquia - o custo de investimento varia entre R$ 180 mil e R$ 300 mil no total e possui um retorno de investimento no período de 18 a 30 meses. "As unidades próprias estão consolidadas e têm faturamento superior a R$ 100 mil, por mês", diz.

Já as novas unidades devem iniciar os negócios com faturamento de R$ 70 mil. A taxa de royalty é de 4% sobre o lucro bruto do franqueado. Atualmente, a rede possui duas unidades próprias em Bragança Paulista (SP).

Delivery

A franquia Doutor Lubrifica, que pertence a holding paulista VA, desenvolveu um modelo de negócios diferente para o segmento. A rede oferece o serviço de troca de óleo a domicílio, podendo ser solicitado via e-mail ou telefone. "Um benefício é que a variedade de marcas de óleos nos centros especializados é muito maior do que em postos de gasolina", explica o sócio da marca Doutor Lubrifica, Bruno Betiati.

Atualmente, a empresa possui 61 unidades vendidas e 21 em funcionamento, das quais uma é própria e serve como centro de treinamento da franquia. Este mês, a rede espera fechar 12 novos contratos. A expectativa é totalizar 260 unidades este ano e 500 lojas em 2019. Até o final de 2015, a rede deve faturar R$ 2,7 milhões, e R$ 7 milhões em cinco anos.

Para Betiati há demanda reprimida pelo serviço. "Existe um grande número de reaproveitamento de carros e a frota no País é surpreendente."

Uma das estratégias que a companhia tem usado para crescer é o investimento na participação de feiras de negócios. "Além de tornar a marca mais conhecida, também divulga o novo conceito", ressalta o diretor de franquias do Grupo VA, Carlos Diego Oliveira.

Segundo ele, com a mudança na cultura do brasileiro - cada vez mais ocupado - a tendência é que os serviços de delivery diversifiquem no mercado. Além disso, a fidelização é a principal preocupação para as lojas. Cerca de 70% dos clientes já realizaram a segunda troca de óleo. "O cadastro atingiu 2,5 mil clientes", afirmou o especialista do Grupo.

Após um ano de operações, a marca pretende aumentar os investimentos em propaganda e publicidade. "Não apenas de divulgação da marca, mas que incentivem a troca de óleo no período correto", afirma.

O principal foco da rede são as regiões de São Paulo e Rio de Janeiro. No entanto, Amazonia, Pará, Paraíba, Ceará e Pernambuco também apresentam muito potencial. O próximo passo da empresa é levar a marca para nível internacional, com foco em Estados Unidos e América do Sul.

"Já existem interessados na Bolívia, Colômbia e Argentina", comemora. Além disso, a rede pretende expandir seus serviços de carro, moto e caminhões para barcos, pequenos geradores e aviões.

O investimento necessário para iniciar uma franquia Doutor Lubrifica é de R$ 80 mil. E o retorno de investimento fica entre 8 e 18 meses. Já o valor fixo do royalty é de R$ 1 mil por carro da rede. O Grupo VA pretende faturar, em 2015, R$ 36 milhões, com todas as suas marcas. E para 2019, a previsão é R$ 140 milhões.

Marcas do setor

Outras empresas do setor de serviços automobilísticos também observam o mercado especializado como uma forma de melhorar o serviço, diversificar produtos e aumentar o faturamento. Alguns exemplos são: a rede Jet Oil, da franquia de postos Ipiranga e a Lubrax +, dos postos BR da companhia Petrobras Distribuidora.

O centro de lubrificação Lubrax + informou ao DCI que fechou 2014 com 1.077 unidades em operação. E a perspectiva é de inaugurar 234 unidades novas este ano. Mesmo com foco em expansão nos postos da rede BR, também podem ser instalados em centros automotivos.

De acordo com o consultor Paulo Cesar Mauro, da Global, a tendência é que o número de franquias ligadas às grandes bandeiras do setor aumente. "Elas já possuem o ponto comercial ideal, só precisam aperfeiçoar o atendimento", analisa o especialista.

Para Mauro, este modelo também deverá proporcionar uma melhor rentabilidade ao franqueado, devido ao preço diferenciado que poderão obter no óleo.