Publicado em

Embalado pelo crescimento de 32% no número de vagas na cidade de São Paulo - de 2002 a 2004 -, o mercado de estacionamentos prevê um incremento de cerca de 15% na receita de 2005. As grandes redes estão apostando nas franquias para crescer em números de unidades e complementar o faturamento, enquanto as empresas menores preferem enfocar as filiais próprias, para primeiro alcançar um alto padrão de serviço, e só depois expandir com franquias.

Segundo estimativa do presidente da Estapar Estacionamentos , Helio Cerqueira Junior, o mercado paulistano movimenta cerca de R$ 1,9 bilhão por ano. "Se levarmos em conta um total aproximado de um milhão de vagas disponíveis e um tíquete médio estimado em R$ 5, além de uma rotatividade de vagas de 1,5 por dia e um calendário com 22 dias úteis por mês, em um ano chegaremos a esse valor", calcula.

Diante de todo esse mercado, as maiores marcas do setor, Estapar e MultiPark , estão apostando nas franquias para expandir a sua rede. A Estapar, líder do mercado de estacionamentos, tem hoje 436 unidades, 120 das quais são franqueadas, e deverá inaugurar mais 15 unidades até o final do ano. "Expandimos bastante os nossos negócios nos últimos três anos, com cerca de três novas unidades por mês. Para o segundo semestre, essa taxa de crescimento deve-se manter, mas podemos superar essa marca. Para o ano que vem, esse índice de crescimento deverá dobrar", afirma Cerqueira Junior. Segundo o executivo, a Estapar espera um incremento de cerca de 15% na receita de 2005, somando R$ 154 milhões, sobre os R$ 134 milhões faturados em 2004.

Ao mesmo tempo em que aposta nas unidades franqueadas, a rede de estacionamentos tem investido também na qualificação do seu pessoal. Com eventos, palestras e um centro de treinamento específico, a Estapar conseguiu melhorar seu atendimento.

"Diminuímos bastante o número de reclamações, para cerca de 120 ocorrências mensais. Atualmente atendemos cerca de 5,5 milhões de carros por mês, o que nos dá um índice de erro muito baixo", conta.

Atrás da líder, a MultiPark também pretende crescer com as franquias. A empresa, que tem cerca de 180 unidades - 85 franqueadas e 95 próprias -, tem registrado um incremento de cerca de 6% ao ano em novas unidades e deve manter o mesmo nível para 2005. "A meta é manter o patamar do ano passado, mas como o primeiro semestre foi muito bom, devemos superar esse índice", diz Sergio Morad, presidente da MultiPark. A empresa investe também na organização interna. Segundo o executivo, a preocupação com a qualificação do serviço prestado é essencial para conseguir um crescimento sustentado no futuro. "O mercado de hoje é muito seletivo, temos investido em equipamentos, em programas de fidelidade, e outras formas de aperfeiçoar a prestação de serviços. A concorrência é forte e temos que nos diferenciar", diz Morad.

A empresa preferiu não falar em números, mas assegurou que cerca de 1,5% do seu faturamento anual é destinado a investimentos em tecnologia e equipamentos.

Na contramão

A Maxipark , entre a quinta e a sétima colocação em market share, está lutando para alcançar as grandes. No entanto, a empresa não pretende investir em franquias, e sim na ampliação da rede própria. Segundo Paulo Frascino, diretor da Maxipark, "a empresa tem 85 unidades, em quatro estados do Brasil, e deverá ganhar 7 novas filiais, nos próximos sessenta dias."

Dessa forma, a empresa espera um crescimento de até 15% em unidades para 2005. "A nossa média histórica de crescimento é de 8% por ano, mas para 2005 era maior. Mesmo assim, até o final do primeiro semestre já havíamos superado a meta de 12%, e devemos chegar a 15% até o final do ano", afirma Frascino. Segundo o executivo, esse acréscimo nas unidades deverá gerar uma receita até 18% maior do que a obtida em 2004, não revelada pela empresa.