Publicado em

Com oferta de ensino superior exclusiva para a área de pedagogia, a Faculdade Rudolf Steiner (FRS) inicia aulas de graduação hoje (5) na capital paulista. Fruto de projeto de quatro anos, a instituição é vinculada ao tradicional sistema de ensino Waldorf.

Presente em 64 países e no Brasil desde 1956, a pedagogia Waldorf capacita professores para atuação dentro da própria rede de ensino básico desde 1970. Com a FRS, o Brasil será o primeiro país cuja metodologia também qualificará profissionais para atuação no mercado.

“Formaremos um pedagogo que poderá atuar no ensino público, privado e na área de gestão”, diz a diretora da instituição, Melanie M. Guerra. A faculdade foi credenciada pelo Ministério da Educação (MEC) em dezembro.

As mensalidades da graduação em pedagogia vão rondar a casa dos R$ 1.500. O valor é mais elevado que a média praticada atualmente, ou R$ 621, de acordo com o Sindicato das Mantenedoras de Ensino Superior (Semesp).

A diferença, afirma Melanie, é fruto do projeto pedagógico singular, que inclui um “eixo cultural e artístico” comum à metodologia Waldorf.

“O professor não pode ter apenas a teoria, mas também um trabalho na pessoa e um desenvolvimento social que não seja apenas cognitivo”, argumenta a diretora, destacando o feedback positivo do MEC: a graduação de pedagogia recebeu nota 5, ou o máxima concedido pelo governo.

A abordagem, por outro lado, pressiona os custos. “Um processo artístico pede especialistas e material diferenciado. Isso encarece”. Entre as atividades presentes no currículo estão música, teatro e artes plásticas – classificadas por Melanie como um diferencial competitivo. “Os currículos de professores no mercado não atendem [as necessidades]”.

Atualmente a graduação em pedagogia é a quinta mais demandada por futuros estudantes, ficando atrás dos cursos de direito, enfermagem, administração e psicologia. As informações são do marketplace Quero Bolsa.

Expansão

A graduação em pedagogia da FRS terá 50 alunos; as aulas começam hoje. Outros 120 cursam pós-graduação desde janeiro, além de 36 estudantes em uma turma avançada e 300 em 10 cursos de extensão.

Melanie relata intenção de ampliar a oferta em breve. “Existem propostas de [abrir] graduações em outros âmbitos como artes e música, mas ainda não temos datas.”

No caso de novas opções em pós-graduação, as conversas parecem mais avançadas. “Estamos pensando em novas linhas, talvez para o segundo semestre ou para o ano que vem”, relata a diretora.

Sistema de ensino

A Federação das Escolas Waldorf do Brasil (FEWB) agrega 74 escolas reconhecidas como praticantes do sistema de ensino. São 9,7 mil alunos quando considerados jardim de infância, fundamental e médio.

“No Brasil, o movimento Waldorf vive uma grande expansão. Em São Paulo, nos últimos 20 anos, o número de escolas Waldorf aumentou de nove para 40. E muitas escolas não federadas também seguem esse caminho”, observa Melanie. Além do maior estado do Brasil, a FEWB contabiliza unidades em outros dez estados: são 12 escolas na região Sul, 6 no Nordeste e outras 3 no Centro-Oeste. Na região Sudeste elas somam 53.