Publicado em

A terceirização dos serviços de lavanderia está virando tendência e já oferece economia de até 40% nos custos de hospitais e hotéis da Grande São Paulo. O ato de contratar uma empresa para a lavagem do vestuário -garantem os usuários- possibilita agilidade e boa relação custo-benefício, já que hospitais e hotéis não têm de se preocupar com problemas de contaminação, entrega e extravio de peças.O Hospital Albert Einstein é um dos que apostou em serviços especializados e, há 10 meses, contratou uma lavanderia para cuidar de seu enxoval. Com a redução de custos, o Einstein investiu também em terceirização de higiene. "Antes gastávamos R$ 650 mil por mês com material de limpeza e salários. Hoje, economizamos 40% desse valor", afirmou Márcioneida Caselato, gerente do hospital. Todo mês o Einstein encaminha 160 mil quilos de roupas à lavanderia, que retira e entrega as peças no local, em até 24 horas.Localizado em Campinas, o Hospital e Maternidade Madre Teodora contratou uma lavanderia terceirizada há oito meses e já contabiliza redução de custos de 40%. De acordo com Elizabeth Callegari Gonçalves, supervisora do Teodora, já foram encaminhados, nos últimos três meses, 23 mil quilos de roupas."Felizmente não temos problemas com sumiço de peças, desgaste e manchas", comenta Elizabeth. Ela conta que a alta tecnologia foi determinante na escolha da empresa prestadora dos serviços. "As roupas são retiradas e trazidas duas vezes ao dia, todas em sacos plásticos".A Gastroclínica Unidade Hospitalar , de São José dos Campos, investiu em serviço externo para montar uma unidade de tomografia e ressonância magnética no lugar de uma lavanderia.Com 43 leitos, o hospital encaminha mais de 350 quilos de roupas por dia. "A roupa volta bem condicionada para ir para a esterilização, no próprio hospital", afirmou Márcia Regina Santos, porta-voz do hospital.Tendência entre hotéisAs grandes redes de hotéis também estão de olho na terceirização para reduzir custos. Um dos exemplos é o Hotel Atlantica . Com 32 empreendimentos, 100% dos hotéis e flats têm lavanderias terceirizadas.Segundo Cristina Munte, diretora regional, as lavanderias agregam alguns benefícios: equipam flats com minilavanderias domésticas e entregam as peças em perfeito estado.No caso das 12 unidades da rede, em São Paulo, o volume de roupas encaminhado para a lavagem é de 5 mil peças por dia, ao custo médio de R$ 1,5 mil por dia.Com investimento de US$ 90 milhões, o Hilton São Paulo Morumbi foi inaugurado há nove meses e já começou com lavanderia terceirizada. Hoje, a empresa gasta R$ 30 mil por mês com o serviço, incluindo 73 mil peças lavadas e passadas por mês. "Com a terceirização, não precisamos investir em maquinário, além de evitar altos custos com energia elétrica, água e mão-de-obra", afirmou Tom Potter, gerente-geral do Hilton.Passando a limpoExistem cerca de 2.500 lavanderias no Estado, das quais 75% são domésticas e 25% atendem os segmentos hoteleiro e hospitalar. De acordo com José Carlos Larocca, presidente do Sindicato de Lavanderias e Similares de São Paulo , o mercado faturou R$ 1 bilhão em 2002 e cresceu 10%. "A expectativa é manter a taxa este ano, graças ao mercado corporativo", disse.Larocca diz que ainda há espaço no mercado para novas empresas. Para abrir uma lavanderia hospitalar é necessário investimento de R$ 10 milhões. O retorno acontece em até quatro anos.De olho nesse filão, Lilian Promenzio Affonso resolveu investir R$ 7 milhões na MaxLav . Especializada em hospitais, hoje a empresa atende mais de 15 empresas e tem cerca de 1,6 mil funcionários. A empresa fatura cerca de R$ 100 mil por mês e espera um incremento de 20% nos negócios por conta da demanda aquecida este ano.