Publicado em

- Quinta maior empresa de vendas diretas do mundo, a americana Mary Kay terá uma fábrica própria de cosméticos no País, além de cinco centros de distribuição, com investimento de US$ 10 milhões em cada, disse o presidente mundial da empresa, David Holl.

"A ideia é ter em breve cinco centros de distribuição", disse ele, que veio ao Brasil para participar, esta semana, do XIV Congresso da Federação Mundial das Associações de Vendas Diretas.

A intenção é, dentro de dois a três anos, ter uma unidade de produção própria no País. Hoje 60% dos itens de maquiagem e cuidados com a pele que a empresa vende são fabricados localmente por quatro grandes indústrias. O restante é importado

"Estamos trabalhando nesse projeto, planejando toda a parte fiscal e de localização", contou o presidente da subsidiária brasileira, Alvaro Polanco. Mas ele ponderou que pretende continuar com as indústrias locais que fazem os produtos sob encomenda.

Decisão

A decisão da empresa em começar a produzir localmente foi tomada depois do forte crescimento de vendas obtido no Brasil nos últimos quatro anos. Entre 2011 e este ano, a receita líquida da empresa aumentou quase 60% ao ano. A expectativa é de uma alta de 40%. "A empresa precisa ter uma fábrica própria para suportar esse crescimento", explicou Holl. Até agora a empresa operava somente com um CD em Alphaville (SP).

Atualmente a operação brasileira da marca é a terceira maior da empresa no mundo, só perde para a China, que encabeça o ranking, e para os Estados Unidos. "Ultrapassamos a Rússia em vendas este ano", disse Polanco.

A empresa não divulga a receita obtida no Brasil. Mas, no mundo, o faturamento líquido deve somar este ano US$ 4 bilhões, ante US$ 3,5 bilhões obtidos em 2013. A expectativa é ter 400 mil consultoras em 2015 no País. No mundo, atualmente são 3 milhões, em 40 países./Estadão Conteúdo