Publicado em

SÃO PAULO - Idealizada por Eduardo Baliero e seu sócio Luiz Wetzel, a startup Kajoo desenvolveu um software integrado a equipamento que contabiliza produtos em esteiras de linha de produção. O negócio, que atua majoritariamente no mercado alimentício, também está em fase de adaptação para o setor de transporte público.



A ideia surgiu na cidade de Campinas, em 2013, e ganhou corpo após dois anos de pesquisas de mercado, que foram financiadas pelos próprios fundadores. Em 2015, a aceleradora Cesar Labs, de Recife, teve interesse na startup e injetou R$ 200 mil no projeto, além de acelerá-lo por seis meses.



Prova de que a inovação agradou o mercado, entre os principais clientes da Kajoo estão grandes empresas como a BRF e a JBS. No entanto, Baleiro preferiu não divulgar dados comerciais da startup.



O equipamento da Kajoo é instalado em cima das esteiras de linha de produção dos seus clientes. Possui câmeras e sensores que captam o movimento dos objetos, contabilizando-os e classificando-os. O fundador cita como exemplo de produtos monitorados como frango de corte e ovos comerciais. A contagem é em tempo real. Além disso, o software integrado emite diariamente relatórios com estatísticas e históricos referentes à produção.



Após a instalação na esteira, o cliente pagará uma mensalidade pelo acesso aos dados da plataforma. O valor, porém, é negociado de acordo com as condições e necessidades de cada contratante.



Como meta para 2017, a Contartech, uma empresa "filha" da Kajoo, como denomina Baliero, visa a adaptação do sistema para a contagem de passageiros em ônibus urbanos. A plataforma vai apontar qual a localidade em que ocorreu o embarque e desembarque de todos os usuários do transporte público.



Este produto, no entanto, está atualmente em fase de testes. "Estamos trabalhando para aperfeiçoar o hardware do novo sistema e adequar a instalação do equipamento", esclarece Baliero.