Publicado em

SÃO PAULO - Lançado em outubro de 2013, o aplicativo 99 Motos permite intermediar a procura e negociar a entrega de uma mercadoria com um motoboy. Hoje, a 99 Motos atua em São Paulo e no Rio de Janeiro e está entrando em Curitiba, inicialmente só em entregas de comida. O faturamento esperado para este ano é de R$ 5 milhões.



Em setembro do ano passado, a empresa recebeu um aporte de R$ 3 milhões da venture builder incube e passou a se concentrar no segmento B2B, ou seja, nas empresas. O aporte permitiu reduzir a taxa fixa cobrada do motoboy pela 99 Motos nos serviços contratados por meio do aplicativo; Essa taxa caiu para R$ 0,99 a cada corrida. Além disso, o profissional retém até o dobro do valor das corridas em comparação com as agências, porque a 99 Motos cobra uma comissão menor, na forma de um percentual sobre o valor do serviço.



O fundador e CEO do aplicativo, Jhonata Emerick, explica que os valores cobrados - tanto a taxa fixa como a comissão - são um diferencial para os motoboys se cadastrarem. Segundo ele, no mercado comercial o motoboy pode ficar com apenas 40% do valor das corridas, porque a comissão cobrada pelas agências para intermediar a negociação chega a 60%. A 99 Motos cobra 20% da contratante e por isso o profissional pode embolsar até o dobro do que numa corrida de igual valor intermediada por uma agência. "O motoboy é dono da força de trabalho, da moto, enfim...E cobro bem menos porque consigo escalar o negócio, coisa que as agências não conseguem fazer", afirma.



Para o motoboy se cadastrar não há empecilho, no entanto, para estar ativo e realizar corridas há uma série de exigências. "Ele precisa ser microempreendedor individual, ter a documentação da moto em dia e em seu nome e há um treinamento para o motoboy aprender a utilizar o aplicativo", diz Emerick. Isso explica a diferença entre o número de cadastrados - são mais de cinco mil - e o de ativos, que somam apenas 800 profissionais.



As entregas são divididas em três categorias: e-commerce, alimentos e documentos. Para solicitar um profissional, o interessado deve colocar os endereços de origem e destino e selecionar a categoria da encomenda. Após isso, o primeiro profissional apto a realizar a corrida num raio de 15 km será encarregado do serviço. O pagamento é realizado, por meio da plataforma, com cartão de crédito, já que não é possível pagar diretamente para o motoboy.



Para este ano, as metas da 99 Motos são faturar R$ 5 milhões, entrar nas principais capitais brasileiras e até mirar algum país da América Latina para atuar.