Publicado em

SÃO PAULO - Um fone de ouvido brasileiro produzido detalhadamente, resistente, personalizável e com peças substituíveis, incluindo cabos e almofadas. Esse é o Kuba Disco, primeiro produto da startup carioca Kuba, focada em criar ferramentas para audição de música com qualidade.



O fone foi o vencedor, no fim de 2015, do Momento Pitch, na conclusão do curso Meu Futuro Negócio, promovido pelo Instituto Euvaldo Lodi (IEL), entidade ligada à Confederação Nacional da Indústria (CNI), em parceria com o Instituto Gênesis, incubadora da PUC-Rio.



Na oportunidade, a startup recebeu um investimento anjo de R$ 120 mil dos membros da banca avaliadora, composta por investidores dos grupos Gávea Angels e Acrux Capital. "Fomos a única ideia que já participou do evento a receber aporte. Isso nos trouxe muita confiança para continuar com o projeto", diz Leonardo Drummond, criador do aparelho.



Apaixonado por música e exigente quanto à qualidade do som, Drummond sempre investiu em fones sofisticados. "Criei um fone de ouvido no projeto final do meu curso de graduação. Depois, fiz um curso de empreendedorismo que me motivou a colocá-lo no mercado. Kuba é uma evolução do projeto", explica o engenheiro industrial.



A paixão por áudio levou Drummond a criar, em 2011, o mindtheheadphone, portal de discussão sobre o universo em questão, com avaliações de equipamentos de som como fones, caixas de som, amplificadores e outros. Marcas como Philips, Sennheiser e Beats By Dre mandam seus produtos para serem testados pelo criador do Kuba Disco.



"Ser parte do público jovem e ter contato com a comunidade entusiasta me fez observar o mercado. O público não encontra uma marca que tenha foco no branding brasileiro, só encontrando a moda urban e hip-hop americana, com a qual a juventude brasileira não compactua muito", diz o idealizador, que investiu R$ 80 mil para dar início ao projeto.



Além de Drummond, a Kuba conta com os sócios Carlos Eduardo, Eduarda Vieira e Dan Nigri.



Sem prazo de validade



O Kuba Disco tem todos os seus componentes substituíveis, ou seja, qualquer peça pode ser trocada por outra. "Um fone não precisa ter data de validade ou prazo", afirma. Além disso, o produto tem um arco de madeira feito por um processo detalhado de laminação para garantir flexibilidade e alta resistência.



O produto pode ser personalizado com a cor ou material desejado, como couro e outros. "Fone de ouvido também é um acessório de moda. A personalização serve para que você coloque seu estilo no aparelho", diz o fundador, que afirma ter fechado parceria com marcas de roupa e escritórios de design. A startup não tem como estratégia direcionar o acessório ao varejo. "Queremos vender para lojas que dialogam com nossa marca e estilo", explica.



A previsão da Kuba é começar as vendas no seu e-commerce no início de 2017. Uma pré-venda, com lote limitado, será realizada até o fim deste mês, promete Drummond. O preço do aparelho é de R$ 590. "Custa um pouco mais da metade de um fone Beats, só que com a mesma qualidade e uma durabilidade de 100 anos, se for bem cuidado", afirma.