Publicado em

SÃO PAULO - A startup Minuto Feedback desenvolveu um software para administradores de hotéis, para dar mais praticidade ao sistema de avaliação dos clientes sobre os serviços oferecidos. O aplicativo permite que o hóspede responda um questionário on-line na hora do check-out, o que imediatamente gera um gráfico e possibilita à direção do estabelecimento dar um feedback mais rápido aos seus clientes.



O serviço pode ser contratado por qualquer local de hospedagem, desde albergues até resorts. As perguntas podem ser respondidas em um tablet. A plataforma oferece também a possibilidade de posicionar QR codes - espécie de código de barras que pode ser lido e reconhecido pela câmera dos smartphones - em lugares específicos da hospedagem, para que o usuário também possa fazer avaliações por área. Basta aproximar um celular do código e as perguntas automaticamente aparecem no aparelho.



O CEO da Minuto, Jorge Gaudêncio, diz que o diferencial em relação a outros sistemas de avaliação é a forma detalhada com que os dados se apresentam. Com o aplicativo, é possível fazer leituras sobre qual setor teve melhor ou pior avaliação e como foi o desempenho dos funcionários.



"As informações ficam registradas na nuvem, podendo ser acessadas pelo hotel a qualquer hora. Além disso, os gráficos gerados contêm diversas estatísticas, como o quarto mais bem avaliado, o perfil de cada cliente e até relatórios sobre cidades e país de origem dos hóspedes", explica Gaudêncio.



O empreendedor afirma que o modelo de avaliação tradicionalmente utilizado pelos hotéis, com planilhas em papel, é mais lento e pode fazer com que o estabelecimento perca clientes por não dar uma resposta rápida a eventuais reclamações.



"Nosso objetivo é ajudar os administradores de hotéis a evitarem avaliações negativas nas redes sociais, que muitas vezes poderiam ter sido tratadas dentro do próprio estabelecimento", argumenta. O desafio, segundo ele, é que o sistema ainda é muito novo e a maioria dos hotéis no Brasil tem filosofias tradicionalistas. "É uma questão cultural, então ainda existe uma certa barreira", diz, antes de ressaltar que, apesar disso, a aceitação está sendo positiva.



Após um período de 30 dias de teste sem custo, a startup cobra uma mensalidade de quem  quiser contar com o serviço. O preço base é de R$ 99 e pode variar de acordo com tamanho, quantidade de quartos e setores de cada estabelecimento. Ao adquirir o software, o gerente pode configurar as perguntas de acordo com o que deseja saber de seus hóspedes. As questões são disponibilizadas em até oito idiomas diferentes.



A Minuto, que tem sede em Recife e passou a operar no fim de 2014, passou por um programa de aceleração de negócios com a Cesar Labs e tem hoje 65 clientes usando seu software, todos em Pernambuco. Segundo o CEO da empresa, o faturamento mensal está entre R$ 8 mil e R$ 9 mil mensais.