Publicado em

Na sexta-feira (3), o presidente Michel Temer sinalizou que a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) pode não ter o orçamento limitado em 2019. “Se houver problema eventual, eu não vou deixar faltar. Eu compensarei”, afirmou. Segundo Temer, as pastas da Educação e Planejamento estão em busca de uma solução.

No último dia 1, carta enviada pelo presidente do Capes, Abílio Neves, ao mandatário do MEC, Rossieli Soares, revelou que “um corte significativo em relação ao orçamento de 2018” atingiria mais de 93 mil discentes e pesquisadores na pós-graduação, além de 105 mil bolsistas em programas de formação de profissionais na educação básica.

Vice-presidente da Anup, Elizabeth Guedes classificou a intenção de corte de recursos como “uma barbaridade”. “Já temos um sério problema de inovação, ciência e tecnologia, além de um número baixíssimo de patentes. Tal mudança teria efeitos muito sérios”.