Publicado em

Como estratégia de marketing institucional, a iniciativa privada brasileira começa a contratar pessoas acima de 55 anos, em busca de uma imagem socialmente responsável. A tendência internacional adotada por redes como Wal-Mart , Pizza Hut , Bob's e o Grupo Pão de Açúcar , por exemplo, envolve a contratação da terceira idade em busca de expertise (extensa experiência e conhecimento), troca de sinergia com funcionários mais jovens e imagem admirável.Um dos primeiros grandes grupos na contratação de idosos, o Pão de Açúcar começou em 1987 com um projeto piloto de absorção do perfil em sua folha de pagamento. Hoje, 1.200 dos funcionários têm acima de 55 anos. Este ano, com a expectativa de inaugurar seis hipermercados, a idéia é oferecer mais oportunidades à terceira idade, sem fazer disso uma bandeira. "Nos preocupamos em diversificar, contratar de jovens, deficientes e universitários à maior idade", afirma Marilia Parada, diretora de planejamento e desenvolvimento de Recursos Humanos (RH) do Grupo Pão de Açúcar.Ao todo, o Grupo tem 68.577 mil funcionários em suas 560 lojas. "Os idosos moram perto das lojas e trabalham de quatro a seis horas. Exercem serviços como atendimento ao cliente, apoio na área de vendas, fazem pacotes e entregam mercadorias nas padarias dos supermercados", explica Marília.No ano passado, o Grupo investiu R$ 30 milhões em treinamento. Este ano, com as novas lojas, terá um salto no valor - não revelado. No geral, a previsão é de investir R$ 258 milhões na abertura de novas lojas, mais R$ 87 milhões em logística, compra de terrenos, treinamento e tecnologia, por exemplo.Com 410 lojas no País, a marca de fast-food Bob's também adotou a contratação de profissionais aposentados. De mais de seis mil funcionários nas lojas próprias e franqueadas, 35 são aposentados. "Os franqueados começaram a se interessar em ter profissionais mais experientes, para alcançar perfeita sinergia com os funcionários jovens", explica Geraldo Gonçalves, diretor de RH do Bob's.Gonçalves estima que a rede pode chegar a até 50 funcionários da maior idade, até o final do ano. Eles exercem funções de anfitriões das lojas: recepcionam os clientes, encaminham-nos às mesas e facilitam o atendimento na fila. No Bob's, o programa de contratação de idosos existe há cerca de um ano e meio e a rede estima ter investido R$ 1 milhão em treinamento no ano passado. Com a abertura de novos pontos, a projeção é chegar a R$ 1,5 milhão em investimentos, no segmento, este ano.Dos 500 funcionários da Pizza Hut , 35 têm acima de 60 anos. Eles fazem parte de um programa sem número mínimo ou máximo de vagas. A idéia inicial era trabalhar com 20 pessoas com esse perfil, mas o programa superou as expectativas. No geral, eles fazem atividades de atendimento e produção."Eles passam por um treinamento de todas as áreas do restaurante: controle de qualidade, recepção, telemarketing, etc. Ao encontrar a área com seu perfil, os aposentados assumem o cargo", explica Reynaldo Zani, diretor de comunicação da Pizza Hut da Grande São Paulo.No mercado há 150 anos, a Dannemann , que emprega 550 funcionários, resolveu contratar engenheiros aposentados para especializá-los em registro de propriedade industrial. João Carlos Quintanilha, gerente de RH, diz que os engenheiros atuam como revisores dos relatórios de patente e, desde a contratação, há pouco mais de um ano, as falhas nos relatórios caíram para o nível zero. "São pessoas sérias, experientes e com o perfil adequado para a função. Temos seis funcionários acima de 55 anos e pretendemos ampliar a equipe", garante o gerente.EstatísticasSegundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), nos próximos 25 anos o número de idosos no Brasil pode ultrapassar 30 milhões. Hoje, 8% da população do País tem mais de 55 anos e essa percentagem, antes de 2.030, deve praticamente dobrar.De acordo com levantamento da Catho, especializada em Recursos Humanos, apenas 9% das empresas contratam gerentes acima dessa idade, mas executivos da área de RH de grandes empresas garantem que a preocupação com a maior idade começa a se tornar uma tendência no mercado nacional.A Laerte Cordeiro Consultoria em Recursos Humanos já trabalha com executivos e profissionais seniores. "Temos assessorado a contratação desse perfil nas funções de gerência e direção", conta Laerte Cordeiro, diretor presidente da agência.Para a AP Fraiman Consultoria , as pessoas acima de 45 anos levam três vezes mais tempo para conseguir recolocação no mercado, principalmente se forem altamente qualificados. "Existe um preconceito de idade não declarado, mas assumido internamente", acredita Ana Berwin Fraiman, sócia.O programa de contratação de idosos do Bob's recebeu R$ 1 mi para treinamento no ano passado