Publicado em

São Paulo - Para atender a demanda reprimida de saúde pública, parcerias entre fabricantes de veículos e prestadores de serviços viram um nicho: adaptar unidades móveis para atuar na zona rural e locais distantes dos centros médicos.

Por meio de parcerias entre prestadoras de serviço privadas e governos estaduais e municipais, o segmento deve crescer este ano. Um exemplo é o projeto Unidade Móvel de Saúde da Mulher, que é oferecido pela fabricante de suplementos rodoviários Truckvan e realizado em parceria com a distribuidora de aparelhos de diagnóstico Gebramed.

Enquanto a primeira faz a projeção e montagem da unidade, a segunda se preocupa com a instalação e manutenção de equipamentos e recursos humanos das vans locadas a entidades públicas. "Realizamos diagnósticos por imagem e mamografia de rastreamento", como explica o sócio da Gebramed, Agnaldo D'Alberto.

Segundo o empresário, a construção e a manutenção de uma unidade móvel custa menos do que uma clínica permanente, e ainda permite a locomoção do consultório em um determinado perímetro, facilitando o acesso do paciente e desafogando o transporte público.

"Também oferecemos a troca de mão de obra, manutenção e reposição de peças com mais agilidade". Para D'Alberto, uma unidade pública tem uma série de procedimentos (por exemplo o concurso público), na hora de fazer uma mudança.

Questionado sobre a qualidade do serviço, ele diz que por ser a distribuidora oficial de marcas como a General Eletric, os técnicos contratados possuem licença e qualificação e, muitas vezes, o serviço pode ser melhor do que o prestado em outros locais.

Contratação

Conforme o executivo, o contrato é feito por período de permanência no local e a remuneração é feita pelo SUS, em conjunto com governos estaduais ou municipais. "O tempo em um local pode variar de dois dias a três semanas, dependendo da demanda". Em 2014, a Gebramed possuía 24 unidades rodando e no total realizou 199.129 mamografias. "Atualmente, as unidades itinerantes podem atingir 50% da Gebramed".

A maior dificuldade para crescer este ano é a incerteza política e retração econômica, que deixa os governos estaduais sem verba. "Mas acreditamos que irá melhorar e, no futuro, pensamos em oferecer o serviço até para empresas privadas", complementa.

Parceira da Gebramed, a Truckvan também está otimista. A empresa fornece unidades móveis para marcas como SPX Imagem, Aborl e General Eletric (GE) e atua com governos. "E entregamos 30 unidades para as secretarias municipais de saúde de Manaus (AM) e Maceió (AL) e secretarias estaduais do Distrito Federal, Minas Gerais e Tocantins", comemora o sócio-diretor da Truckvan, Alcides Braga.

Para o executivo, o modelo tem sido muito procurado para empresas públicas e privadas. "No caso das privadas, o cliente final é o paciente, que tem a facilidade de ser atendido perto de casa ou do trabalho. Já para o governo, a facilidade é proporcionar conforto para população, levando informação e saúde de qualidade".

A Truckvan fornece unidades para outros segmentos do mercado, mas o de saúde representou 25% de seu faturamento em 2014, que foi estimado em R$ 145 milhões.

De acordo com o gerente do Programa Saúde Manaus Itinerante, William Terra, a Prefeitura, por meio da secretaria municipal, investiu no modelo para levar assistência a novos bairros e comunidades que não ofertam o serviço - chamadas de "vazio assistencial".

O investimento para as 11 unidades é de R$ 14 milhões ao ano, sem levar em consideração o gasto com insumos e recursos humanos das unidades odontológicas e médico-laboratoriais. "As carretas já realizaram 300.872 atendimentos de 2012 a 2014" , explica.

No caso da rede SPX Imagem, o serviço de diagnóstico por imagem é oferecido tanto para órgãos públicos (federais e estaduais), como privados. "Atendemos municípios que não possuem o serviço e empresas que oferecem campanhas de saúde para seus trabalhadores", disse a porta-voz do setor administrativo da SPX, Pamella Alencar.

Pamella afirma que a empresa oferece mamografias, ultra-sonografia, raio X e Eletrocardiograma, com laudo imediato. Atualmente, a SPX possui apenas uma unidade móvel, mas pretende adquirir outra até o final do ano.