Dívida do Flamengo chega a R$ 440 milhões: veja por que aumentou

Clube divulgou o balanço financeiro de 2020, que demonstrou uma queda no faturamento e aumento na dívida líquida; confira os valores.

O Flamengo divulgou o balanço financeiro da temporada 2020 e após anos seguidos de superávit, o clube fechou o balanço com uma diminuição no faturamento e um aumento na dívida líquida, que chama a atenção ao se comparar com 2019. Embora a fase seja atípica por conta da pandemia do novo coronavírus, vários fatores explicam essa diferença nas contas do clube. Confira aqui o por que do aumento na dívida do Flamengo.

De acordo com o balanço financeiro de 2020, o Flamengo tem uma dívida no valor de R$ 440 milhões.

Qual é o valor da dívida do Flamengo?


A divida do time aumentou em R$102 milhões em relação a 2019, quando o clube fechou com uma dívida em R$338 milhões. O faturamento da equipe também diminuiu. No ano em que a equipe da Gávea ganhou além do Campeonato Brasileiro, a Libertadores, o Rubro-negro faturou R$ 950 milhões, já no último balanço a quantia foi de R$756 milhões. Ou seja, R$ 194 milhões a menos.

Vários fatores contribuem tanto para o aumento da dívida quanto para a diminuição do faturamento. No entanto, o principal motivo é a pandemia do novo coronavírus, que dificultou as arrecadações do clube.

Por que a dívida do Flamengo aumentou?


Como dito anteriormente, a pandemia contribuiu, e muito, para a diminuição da arrecadação de dinheiro do Flamengo, assim como da maioria dos clubes. Devido à proliferação do vírus, a equipe deixou de arrecadar com o público nos estádios, um grande gerador de dinheiro da equipe, visto que possui a maior torcida do Brasil, com cerca de 40 milhões de pessoas, segundo a última pesquisa do Data Folha.

O clube também perdeu sócio-torcedores. Para efeito de comparação, antes da pandemia o Fla tinha cerca de 150 mil sócios. No entanto, agora possui 58.774 mil.  Em relação aos valores, em 2020 a equipe arrecadou R$92 milhões com os jogos, sendo bilheteria (antes da pandemia) e sócio-torcedor, mas no ano anterior faturou R$175,4 milhões.

Com a dificuldade financeira de empresas em decorrência da pandemia, o Flamengo também perdeu alguns patrocínios, que contribuíam para a arrecadação de dinheiro da agremiação. A compra de jogadores também favoreceram a crescente nos valores dos débitos do clube, que precisa pagar R$ 270 milhões pelas contratações.

As receitas com os direitos de transmissão e prêmios também diminuíram: de R$342 milhões em 2019 para R$264 milhões. Ou seja, R$ 78 milhões a menos.

Quais as fontes de receita do Flamengo em 2020?

Mesmo com a diminuição dos valores de direitos de transmissão, a venda de jogos para as emissoras de televisão ainda são a maior fonte de renda do clube. Na sequência, aparece a venda de jogadores e os patrocínios.


Veja os valores:

  • Direitos de Transmissão e Prêmios – R$ 264 milhões
  • Transferência de atletas – R$ 222 milhões
  • Patrocínios e Licenciamentos – R$ 143 milhões
  • Bilheteria, ST e Estádio – R$ 92 milhões
  • Social e outras – R$ 34 milhões
Confira o gráfico com as fontes de receita do flamengo
Confira o gráfico com as fontes de receita do flamengo (imagem: divulgação/flamengo)

Por fim, embora os valores das dívidas tenha aumentado e o faturamento diminuído, o clube conseguiu reduzir os gastos com a salários envolvendo todos os funcionários. Cerca de R$278 milhões foram gastos em salário no ano de 2019, já em 2020 essa quantia caiu para R$236 milhões.

 

Você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.