A Fazenda 12: Mateus e Stéfani sobre Mariano: ‘tem cara de campeão’

Peões palpitavam sobre quem seria o favorito do público fora do reality. Além de Mariano, Stéfani também acredita que Tays tenha força entre os fãs de A Fazenda 12.

Os peões em A Fazenda 12 têm muitos palpites sobre a preferência do público aqui fora. Em conversa na casa da árvore no começo da noite, Mateus e Stéfani falavam sobre Mariano e acreditam que ele pode ser o vencedor do programa.

Qual o palpite de Mateus e Stéfani?

Mateus aposta que Mariano seja o favorito do público de A Fazenda 12, mas Stéfani discordou: “Eu acho que a Tays é mais [forte] que ele”. O ator se mostrou indeciso ainda, mas em um ponto ambos concordaram.

“Eu acho ele a cara desse program”, disse Mateus. “Ele é, né? Cara de campeão da Fazenda”, completou Stéfani.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

A Fazenda 12: peões apontaram o que não gostam em Mariano

Ainda na casa da árvore, Mirella acordou e também participou da conversa, que se seguiu com os peões apontando quais características menos gostavam no possível campeão de A Fazenda 12, segundo seus palpites.

Stéfani chamou atenção para o fato de Mariano ter chamado de frescura um posicionamento a respeito do uso do termo criado-mudo, que foi apontado como racista pelas participantes.

“Ter chamado de frescura uma luta que não é dele, quando a gente tava ensinando pra ele sobre criado-mudo, sobre várias coisas, e ele: ‘ai que frescura’. Peraí… como assim, frescura? A dor é sua? Não é. Então fica quieto, cala a boca, escuta e aprende”, revoltou-se.

“Olha as coisas que acontecem lá fora. É que as pessoas não têm interesse em saber sobre tudo que aconteceu na históra”, completou Mirella.

Mateus diz ter se desconstruído com as filhas

Para completar o assunto, Mateus contou que fora de A Fazenda 12 aprendeu muito sobre machismo com as filhas e que desconstruiu muitos pensamentos que haviam sido construídos pela educação que recebeu dos pais.

“Eu aprendo muito com as minhas filhas, então nesse quesito eu tô bem evoluído eu acho. Porque eu também tive uma educação muito machista, tanto do meu pai, quanto da minha mãe. Eu nunca achei isso muito legal, mas era como era minha casa: meu pai mandando e minha mãe obedecendo”, destacou.

 

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes