Veja como se cadastrar no Bolsa Família em 2021

Famílias de baixa renda e classificadas como extrema pobreza podem receber o benefício do Bolsa Família. Veja o passo a passo para se cadastrar

O Brasil tem hoje, mais de 13 milhões de pessoas na extrema pobreza, aquelas que, de acordo com o Banco Mundial, vivem com até R$ 151 por mês. E quase 52 milhões na pobreza – com renda de até R$ 436 por mês. É o que constatou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. Para tentar ajudar parte da população que vive na pobreza e extrema pobreza no Brasil, o governo federal criou o projeto Bolsa Família, que dá assistência à essas pessoas. Veja como se cadastrar no bolsa família

Como se cadastrar no Bolsa Família 2021?

  • É preciso fazer o cadastro único
  • Responsável Familiar deve informar seu CPF ou Título de Eleitor;
  • Documento de identificação com foto para cada um dos outros membros da família candidata ao benefício.

Esses são os documentos necessários para efetuar o cadastro da família no programa Bolsa Família 2021 do Governo federal. Procure o setor responsável pelo programa em seu município, normalmente, fica na Prefeitura ou algum departamento do governo municipal.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Quem tem direito ao Bolsa Família?

O Bolsa Família é direito das famílias mais pobres, que possuem às seguintes renda e que devem estar cadastradas no Cadastro Único, conhecido popularmente como CaDúnico. Podem se cadastrar:

  • Famílias com renda mensal de até R$ 89 por pessoa;
  • Famílias com renda mensal entre R$ 89,01 e R$ 178 por pessoa desde que tenham gestantes e/ou crianças e adolescentes até 17 anos.

Para saber a renda mensal por pessoa é preciso somar todos os rendimentos e salários dos membros da família, que moram na mesma casa, e dividir pelo número de pessoas.

Qual o valor do Bolsa Família 2021?

O valor do Bolsa Família depende de como é a renda daquela família. O valor muda se há gestantes, crianças e adolescentes, por exemplo. Os benefícios vão se somando. Veja os valores:

  • R$ 89: Pago apenas às famílias em extrema pobreza, ou seja, com renda mensal de até R$ 89 por pessoa.
  • R$ 41: Pago às famílias com renda mensal de até R$ 178 por pessoa e que tenham crianças ou adolescentes até 15 anos em sua composição.
  • R$ 41: Pago às famílias com renda mensal de até R$ 178 por pessoa e que tenham grávidas em sua composição. São nove parcelas mensais.
  • R$ 41: Pago às famílias com renda mensal de até R$ 178 por pessoa e que tenham crianças até seis meses em sua composição. São seis parcelas mensais.
  • R$ 48: Pago às famílias com renda mensal de até R$ 178 e que tenham adolescentes de 16 ou 17 anos em sua composição.
  • Pago às famílias que continuam com renda mensal por pessoa inferior a R$ 89, mesmo após receberem outros tipos de benefício do programa.

Microcrédito de R$ 1 mil

Como o auxílio emergencial irá terminar no dia 31 de dezembro, o governo está estudando novas medidas para ajudar as camadas mais pobres da população e, liberar um microcrédito de R$ 1 mil àqueles que forem receber o benefício em 2021.

Seriam liberados empréstimos entre os valores de R$ 500 até R$ 1 mil. Será oferecido também ao Bolsa Família 2021 o auxílio-creche no valor de R$ 52,00 mensais e para os bons alunos, prêmios de R$ 1 mil.

O microcrédito é proposta do governo federal para dar incentivo aos microempreendedores e promover o crescimento de renda para a população.

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes