Corinthians e Palmeiras na final do Paulistão: quem é o freguês?

Relembre decisões históricas e saiba o que esperar do duelo entre Corinthians e Palmeiras na final do Paulistão

0 433

O clássico entre Corinthians e Palmeiras na final do Paulistão de 2020 vale não só o título, mas também a liderança no histórico de decisões entre os arquirrivais. Afinal, os dois clubes estão empatados no quesito, com seis vitórias cada.

Paulista 2020: veja datas e horários da final entre Corinthians e Palmeiras

Em finais do Paulistão, entretanto, quem leva a melhor é o Corinthians. Nas decisões estaduais contra o Palmeiras, são cinco vitórias e três derrotas. Aliás, o Alvinegro vem de três títulos consecutivos e é o maior campeão paulista, com 30 troféus.

Além disso, o Corinthians vem se impondo nos duelos recentes contra o Palmeiras e está há quase dois anos sem perder para o rival. Nos últimos 12 jogos, foram oito vitórias. No último encontro entre Corinthians e Palmeiras na final do Paulistão, em 2018, o Alvinegro também levou a melhor.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Mas o retrospecto geral de todos os confrontos é bem equilibrado: 128 vitórias do Corinthians contra 127 do Palmeiras. No entanto, o Alviverde tem outra conta, pois soma duas vitórias a mais em jogos que não tiveram 90 minutos completos, válidos pela Taça Augusto Henrique Mündel de 1938.

Por sua vez, o Palmeiras tenta quebrar um jejum de 12 anos sem conquistar o título estadual. O último foi em 2008, quando o time liderado por Valdivia, que também era comandado por Vanderlei Luxemburgo, venceu a Ponte na final. O técnico, aliás, é o responsável pelos últimos quatro títulos paulistas do Alviverde: 1993, 1994, 1996 e 2008.

Corinthians e Palmeiras na final do Paulistão: histórico

Apesar do histórico recente levemente favorável ao Corinthians, o Palmeiras chega à final com um elenco mais badalado e ostentando a melhor campanha. Difícil, no entanto, é apontar um favorito. Pois tudo pode acontecer em um Corinthians e Palmeiras na final do Paulistão. Confira a seguir a lista das decisões já disputadas entre os clubes e relembre os jogos mais marcantes do confronto.

Vitórias do Corinthians

1929

Palestra Itália 1 x 4 Corinthians

Local: Parque Antarctica

Gols: Carrone (Palestra); Filó, Gambinha e De Maria (2) (Corinthians)

Válido pela última rodada do campeonato, o primeiro dérbi decisivo rendeu o título ao Corinthians, que ultrapassou o Santos e assegurou o primeiro lugar na classificação. Mas o Palestra Itália já não tinha mais chances de título na ocasião.

1954

Palmeiras 1 x 1 Corinthians

Local: Pacaembu

Gols: Nei (Palmeiras); Luizinho (Corinthians)

O Corinthians só precisava de um empate para assegurar o título contra o Palmeiras na penúltima rodada. Foi o 15º troféu estadual do Alvinegro.

1995

Palmeiras 1 x 1 Corinthians

Local: Santa Cruz (Ribeirão Preto)

Gols: Nilson (Palmeiras); Marcelinho Carioca (Corinthians)

Corinthians 2 x 1 Palmeiras

Local: Santa Cruz (Ribeirão Preto)

Gols: Marcelinho Carioca e Elivélton (Corinthians); Nilson (Palmeiras)

Foi a primeira vez que o Corinthians superou o Palmeiras em uma decisão oficial de título. Aliás, com direito a um golaço histórico de Elivélton na prorrogação.

1999

Corinthians e Palmeiras na final do Paulistão: Edilson faz embaixadinhas em 1999
Reprodução de TV

Corinthians 3 x 0 Palmeiras

Local: Morumbi

Gols: Edílson, Marcelinho Carioca e Dinei (Corinthians)

Palmeiras 2 x 2 Corinthians

Local: Morumbi

Gols: Evair (2) (Palmeiras); Marcelinho Carioca e Edílson (Corinthians)

A famosa final das embaixadinhas. Depois da vitória tranquila no jogo de ida, o gol de empate marcado por Edílson no jogo de volta deixou o Corinthians com a mão na taça. Assim, aos 30 minutos do segundo tempo, ele resolveu fazer embaixadinhas para comemorar… O resultado, então, foi uma pancadaria generalizada e o encerramento do jogo antes mesmo do apito final.

2018

Corinthians 0 x 1 Palmeiras

Local: Arena Corinthians

Gol: Borja

Palmeiras 0 (3) x (4) 1 Corinthians

Local: Allianz Parque

Gol: Rodriguinho

O último dérbi da final do Paulistão foi o primeiro definido nos pênaltis, e o Corinthians levou a melhor depois que Cássio defendeu as cobranças de Dudu e Lucas Lima.

Vitórias do Palmeiras

1936

Palestra Itália 2 x 1 Corinthians

Local: Parque Antártica

Gols: Luizinho e Moacir (Palmeiras); Filó (Corinthians)

Depois que cada time venceu um turno e o empate prevaleceu nos dois primeiros jogos da finalíssima, houve um terceiro e decisivo jogo. O Palestra abriu 2 a 0 no primeiro tempo e então manteve a vantagem para conquistar seu primeiro título sobre o rival.

1974

Corinthians 1 x 1 Palmeiras

Local: Pacaembu

Gols: Lance (Corinthians); Edu (Palmeiras)

Palmeiras 1 x 0 Corinthians

Local: Morumbi

Gol: Ronaldo

O Corinthians já estava há 20 anos sem conquistar o Estadual, e assegurou vaga na final após ser campeão do primeiro turno. Mas o time de Wladimir e Rivellino não conseguiu superar o esquadrão de Ademir da Guia e Leivinha na decisão, diante de 120 mil torcedores no Morumbi.

1993

Evair chuta a gol para o Palmeiras na final do Paulistão de 1993
Divulgação/FPF

Corinthians 1 x 0 Palmeiras

Local: Morumbi

Gol: Viola

Palmeiras 4 x 0 Corinthians

Local: Morumbi

Gols: Evair (2), Zinho e Edílson

No jogo de ida, Viola fez o gol da vitória e comemorou imitando um porco. Mas a provocação inflamou os palmeirenses, que golearam na partida decisiva e quebraram um jejum de 17 anos sem título paulista.

Retrospecto geral

Se os números de Corinthians e Palmeiras na final do Paulistão pendem para o lado alvinegro, os alviverdes, por outro lado, compensam em outras competições. Além do Brasileirão de 1994 conquistado sobre o rival, o Palmeiras também venceu dois torneios Rio-São Paulo contra o Corinthians: 1951 e 1993. Já o Rio-São Paulo de 1954 ficou com os corintianos. No total das decisões entre os dois clubes, portanto, o retrospecto está empatado em 6 a 6.

Informar Erro

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes