Naming rights da Arena Corinthians: o que já se sabe sobre a negociação

O presidente do clube, Andrés Sanchez, afirmou que a venda dos naming rights da Arena Corinthians já está encaminhada, mas não revelou o comprador

Seis anos depois da inauguração, os naming rights da Arena Corinthians devem finalmente ser negociados. Assim, o estádio passará a levar o nome de uma empresa, que pagará cerca de R$ 350 milhões ao clube para ter esse direito. Da mesma forma que aconteceu com o Allianz Parque, do Palmeiras, que faturou R$ 300 milhões.

O presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, confirmou no último final de semana que a venda dos naming rights da Arena está encaminhada. “Estamos bem perto. Já já vem, mas nunca esteve na camisa do Timão”, escreveu o dirigente no Twitter.

Naming rights da Arena Corinthians: cronologia

Antes mesmo do início da construção da Arena Corinthians, em 2011, já se falava em negociar os naming rights. Andrés Sanchez viajou duas vezes ao Oriente Médio para tentar fechar o negócio. Mas o estádio foi inaugurado sem o tão esperado aporte financeiro.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

A expectativa era que os naming rights cobrissem o custo total da Arena inicialmente orçada em R$ 350 milhões. No entanto, o valor final acabou sendo quase três vezes maior. Atualmente, a dívida do Corinthians referente à construção do estádio está em torno de R$ 500 milhões.

Sem conseguir negociar os naming rights antes da inauguração, em 2014, o estádio passou a ser conhecido como Arena Corinthians. Por vezes, Itaquerão. Já “batizado” por imprensa e torcida, as negociações pelos naming rights ficaram mais longe de um final feliz. Até agora.

Reviravolta nas negociações

Às vésperas do aniversário de 110 anos do Corinthians, no dia 1º de setembro, Andrés Sanchez resgatou o assunto e deixou o torcedor animado. Afinal, o clube passa por crise financeira, e o acordo pelos naming rights é esperado há quase uma década. Além disso, o clube terá eleições em novembro, e a negociação poderá ser uma carta na manga de Andrés.

Em 2015, entretanto, o cartola corintiano já tinha criado essa expectativa. Na época, ele afirmou que o negócio já estava bem adiantado. Disse ainda que era “uma coisa muito grande, nova no Brasil”. Passaram-se cinco anos desde então, ainda sem nenhuma definição.

Mistério sobre o comprador

Na semana passada, o comentarista Neto afirmou em seu programa na Band que o Corinthians estava próximo de encerrar a novela dos naming rights. Em um primeiro momento, Andrés desmentiu. Mas, posteriormente, acabou confirmando a informação. Sem revelar, no entanto, os detalhes sobre qual é a empresa.

O Magazine Luiza estava entre os candidatos, mas negou a informação e reforçou que não está negociando com o Corinthians. Ao colunista Jorge Nicola, do Yahoo e da ESPN, Andrés falou que o comprador dos naming rights é uma empresa mundialmente conhecida, do ramo de varejo. O valor a ser pago será entre R$ 300 e R$ 350 milhões em um contrato válido por 20 anos.

Informar Erro
Fonte Yahoo

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes