Enem foi cancelado? O que se sabe sobre o adiamento do exame

A Justiça Federal decidiu pela suspensão da realização do Enem no Estado do Amazonas. A Defensoria Pública e o Ministério Público tentam expandir a decisão para todo o país

A Justiça Federal decidiu nesta quarta-feira (13) pela suspensão da realização do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) no estado do Amazonas. O exame, que será aplicado em todo o Brasil na versão impressa, nos dias 17 e 24 de janeiro, e na versão digital, em 31 de janeiro e 7 de fevereiro, foi cancelado por juiz que alega situação “imoral” para candidatos e profissionais.

Enem foi cancelado no estado do Amazonas?

A decisão tomada pela Justiça acatou ao pedido de suspensão da prova feito pelo vereador Amom Mandel Lins Filho (Podemos) e pelo deputado federal Marcelo Ramos Rodrigues (PL).  Ambos alegaram que o estado vive “momento da pandemia e de colapso na rede pública e particular de saúde” e que, portanto, não há condições de aplicar as provas. A decisão tem caráter liminar (provisório), ou seja, a União pode ainda recorrer para manter a data de aplicação dos exames no Amazonas.

O juiz Ricardo Augusto de Sales, do TRF-1 (Tribunal Regional Federal da 1ª Região) afirma, em sentença, que como o Poder Público não possui condições de atender às pessoas eventualmente infectadas com a covid-19 após as provas, a realização do exame se torna imoral. A Justiça ainda determinou uma multa de R$ 100 mil por dia de descumprimento. Confira um trecho da sentença:

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

“Destaco que, aparentemente, malfere o princípio da moralidade administrativa se impor aos estudantes e profissionais responsáveis pela aplicação do Enem que se submetam a potenciais riscos de contaminação pela covid-19, numa situação na qual o Poder Público não dispõe de estrutura hospitalar-sanitária para dar o socorro médico devido àqueles que eventualmente necessitarem”, diz parte da decisão.

“Diante do exposto e por tudo mais que dos autos consta, acolho a pretensão autoral e defiro a tutela de urgência para determinar a suspensão da aplicação das provas do Exame Nacional do Ensino Médio no estado do Amazonas devendo tal suspensão perdurar até que se finalize o estado de calamidade pública decretado pelo poder executivo estadual”, acrescenta. Desde o último dia 7 de janeiro, o governo do Amazonas prorrogou por mais 180 dias — ou seja, seis meses — o estado de calamidade pública no estado. 

Oficialmente, a prova será aplicada nos dias 17 e 24 de janeiro (Foto: reprodução)

Pandemia em Manaus – Enem foi cancelado?

Com mais de 210 mil casos do novo coronavírus e pela segunda vez em oito meses, o sistema de saúde do estado do Amazonas opera com dificuldades por causa da alta de casos e mortes provocados pela covid-19. Após as festas de fim de ano, a tendência do estado é superar a média diária de enterros da primeira onda da doença, em abril do ano passado.

Há 1.450 pacientes internados, sendo 973 em leitos, 450 em UTIs e 27 em salas vermelhas (espaços para a assistência temporária de pacientes críticos e graves). O estado possui 5.180 óbitos. 

Justiça nega adiamento em todo o país 

Foto: Pixabay

A juíza Marisa Claudia Gonçalves Cucio, da 12ª Vara Cível de São Paulo, nesta terça-feira (12), negou um pedido de adiamento nacional do Enem e manteve a data das provas nos dias previamente estipulados. O pedido havia sido feito pela DPU (Defensoria Pública da União) e pelo Ministério Público. A solicitação contou com apoio da UNE (União Nacional dos Estudantes), Ubes (União Brasileira dos Estudantes Secundaristas) e entidades como a Educafro.

Na decisão, a juíza afirmou entender que as medidas adotadas pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais), responsável pelo exame, “são adequadas para viabilizar a realização das provas nas datas previstas, sem deixar de confiar na responsabilidade do cuidado individual de cada participante e nas autoridades sanitárias locais que definirão a necessidade de restrição de circulação de pessoas, caso necessário”.

Vale lembrar que o Brasil registrou 1.283 novos óbitos nesta quarta-feira (13) e tem onze estados com tendência de aceleração na média móvel de mortes. O país já passa da marca de 206 mil mortes provocadas pela covid-19. Em média, 995 pessoas morreram nos últimos sete dias, o que representa uma aceleração de 41% na comparação com 14 dias atrás. Desde o dia 8 o Brasil registra acelerações consecutivas na disseminação da doença.

 

Veja como pedir a reaplicação do Enem 2020 em outra data

Os candidatos inscritos para o Enem que estiverem infectados com a covid-19 ou outras doenças infectocontagiosas podem solicitar a reaplicação das provas. A reposição do exame está marcada para os dias 23 e 24 de fevereiro. Quem estiver doente deve comunicar a condição, antes da realização das provas, acessando a Página do Participante  na internet. 

Página inicial do site do Enem 2020

O Inep estipulou que, para a análise da possibilidade de reaplicação, a pessoa deverá obrigatoriamente apresentar, na solicitação, um documento legível que comprove a doença. Na documentação deve constar o nome completo do participante, o diagnóstico com a descrição da condição, o código correspondente à Classificação Internacional de Doença (CID 10), além da assinatura e da identificação do profissional competente, com o respectivo registro no Conselho Regional de Medicina (CRM), do Ministério da Saúde (RMS) ou de órgão competente, assim como a data do atendimento. O documento deve ser anexado em formato PDF, PNG ou JPG, no tamanho máximo de 2 MB.

Pelo edital do Enem 2020, são doenças infectocontagiosas, para fins de pedido de reaplicação das provas: coqueluche, difteria, doença invasiva por Haemophilus influenza, doença meningocócica e outras meningites, varíola, Influenza humana A e B, poliomielite por poliovírus selvagem, sarampo, rubéola, varicela e covid-19. O Inep ressalta que os candidatos que apresentarem sintomas na véspera ou no dia da prova não deverão comparecer ao exame, “primando pela segurança e pela saúde coletiva”. 

O participante, além de registrar o ocorrido na Página do Participante, deverá entrar em contato com a Central de Atendimento do Inep (0800 616161) e relatar a condição, com o objetivo de agilizar a análise do laudo pela autarquia. A aprovação ou a reprovação da solicitação deverá ser consultada, também, na Página do Participante.

Segundo o Inep, pessoas que tiverem problemas logísticos, como, por exemplo, falta de energia elétrica, também poderão comunicar o problema pela Página do Participante para fazer o exame em fevereiro.

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes