Empresas de tecnologia focam em P&D contra crise

Pesquisa mostrou que gasto em processos tecnológicos e soluções superou os US$ 250 bilhões em 2020

O mundo dos negócios depende cada vez mais da tecnologia e a pandemia de Covid-19 reforçou isso com muita clareza. Foi na urgência do isolamento social que separou empresas de colaboradores, com estes últimos passando a trabalhar em home office, que a questão da inovação, com investimentos em Pesquisa e Desenvolvimento (P&D), se mostrou a chave para driblar momentos de crise e perda de competitividade.

Isso é reforçado pela pesquisa da Harvey Nash/KPMG CIO 2020, que ouviu 4,2 mil líderes de TI de 83 países. O levantamento mostrou que o gasto em processos tecnológicos e soluções dessas empresas juntas superou os US$ 250 bilhões, perto de US$ 15 bilhões a mais, por semana, durante a primeira onda da crise sanitária, em 2020. É um dos maiores investimentos em tecnologia dos últimos anos.

Dados do European Structural and Investiment Funds indicam o potencial da tecnologia para as empresas, com um olhar particular na União Europeia. Entre 2014 e 2020, os fundos estruturais voltados para inovação e pesquisa têm um orçamento estimado de 40,2 bilhões de euros. Apenas em 2019, antes mesmo do início da pandemia, o aumento médio de investimentos com P&D chegou a 8,9% em relação a 2018. O crescimento global de P&D foi impulsionado pelos setores de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e Saúde.

No Brasil, é crescente o número de empresas que apostam na P&D como uma das principais estratégias de competitividade, aumento do portfólio, gerar receita, garantir sustentabilidade.

Tecnologia no campo

O agronegócio está no centro da economia brasileira – no último ano, o setor cresceu na ordem de 2%, mesmo com o PIB nacional caindo em 4,1%. Em grande parte, os resultados vêm do investimento em tecnologias, como as desenvolvidas pela divisão de Agricultura da Hexagon, sediada em Florianópolis (SC).

A empresa, que fornece soluções inovadoras para uma agricultura digital,  faz parte da multinacional Hexagon AB, líder global em soluções autônomas de sensores e softwares. Para se manter à frente no mercado, em 2020, a companhia global investiu 13% das suas vendas líquidas em P&D; cerca de 500 milhões dos 3,8 bilhões de euros de receita no último ano.

Hexagon, empresa de tecnologia do campo
Soluções inovadoras para uma agricultura digital faz parte da multinacional Hexagon, que leva a tecnologia para o campo. Foto: Divugação

“O compromisso com P&D é uma das grandes prioridades da Hexagon, que quer se manter como um dos fornecedores mais inovadores do setor. O alto percentual investido na área é importante não apenas para melhorar e adaptar os produtos existentes, mas também para a criação de novas soluções com tecnologia de ponta”, comenta o presidente da divisão de Agricultura, Bernardo de Castro.

Além do investimento anual em P&D, a Hexagon conta com mais de 5 mil colaboradores na área, o que corresponde a 25% do quadro de funcionários da multinacional. São mais de 4 mil patentes ativas e de 150 aquisições para fortalecimento do portfólio, que também envolve segmentos como o de geossistemas, mineração, geoespacial e manufatura.

Inovação no controle de geração de energia

A REIVAX Automação e Controle, multinacional brasileira presente em mais de 40 países e líder no fornecimento de equipamentos para controle da geração de energia na América Latina, já colhe bons resultados a partir do aperfeiçoamento de suas soluções e na criação de novos produtos.

Com faturamento anual acima de R$ 60 milhões, a companhia mantém desde 2002 uma área específica de P&D. Até 2020, o investimento em pessoal de P&D respondia a cerca de 15% da folha de pagamento da empresa. Neste ano, a fatia será maior e a capacidade produtiva deve ser ampliada em 10% para atender as demandas contratadas.

“Hoje, 100% do nosso faturamento vem do nosso desenvolvimento próprio e da conexão com os ecossistemas de inovação e energia. A REIVAX é genuinamente formada em pesquisa e desenvolvimento e suas soluções são customizadas para cada cliente. Desenvolvemos e fabricamos hardwares e softwares únicos e o investimento em P&D é um dos co-responsáveis pela expansão do nosso portfólio e internacionalização”, afirma Fernando Amorim da Silveira, CEO da REIVAX.

Como benefício mais recente, em abril, a empresa anunciou a entrada no mercado de energias renováveis com o lançamento de uma solução exclusiva para o controle energético em usinas solares fotovoltaicas, o PPCx. O segmento deverá representar cerca de 25% do faturamento da empresa até 2025.

Foco em IoT para a Saúde

Na área da Saúde, a Sensorweb de Florianópolis (SC) — especialista em soluções de IoT no segmento Healthcare — vem aplicando recursos em P&D para ampliar seu portfólio no mercado de monitoramento de temperatura para cadeia fria da Saúde em hospitais e clínicas, bancos de sangue, laboratórios e operadores logísticos farmacêuticos.

SensorWeb, empresa de tecnologia de saúde
Fundadores da SensorWeb (Crédito: Divulgação)

Com faturamento superior a R$ 5 milhões em 2020, a startup investe anualmente cerca de 15% de suas receitas em pesquisa e desenvolvimento. Para 2021 o aporte na área deve atingir 20% do faturamento, isso porque a empresa estima crescer na ordem de 50% no ano. Além disso, trabalha no desenvolvimento de três projetos que contam com mais de R$ 2,6 milhões de subvenção vindos de editais de fomento à inovação.

“Mantemos uma área de P&D ativa e estamos evoluindo para a criação do Sensorweb Insights, estimado em R$ 2,3 milhões, onde estamos criando uma área de inteligência artificial aplicada à Internet das Coisas que, futuramente, vai impactar na criação de novos produtos. Esse é o futuro que estamos construindo para manter nossa história pioneira e a confiabilidade conquistada no setor”, destaca Douglas Pesavento, CEO da Sensorweb.

Tecnologia preditiva para energia eólica

A AQTech, empresa que desenvolve ferramentas para monitoramento e diagnóstico de ativos dos setores de energia hidráulica e eólica, investe em pesquisa e desenvolvimento tecnológico desde a sua criação. Nos últimos quatro anos, no entanto, o aumento exponencial da dinâmica tecnológica e a demanda constante por inovação no portfólio fez com que a AQTech intensificasse os investimentos em P&D para tornar o ciclo de inovação mais ágil. No período, a empresa aumentou mais de 500% o investimento de recursos próprios nessa área, chegando a R$3 milhões em 2020.

O investimento em pesquisa e desenvolvimento foi um dos principais fatores para o crescimento da empresa nos últimos anos, com faturamento aumentando de R$1,5 milhão em 2016 para R$23 milhões em 2020.  “O investimento em inovação nos permitiu aprimorar as soluções já existentes e ampliar o portfólio da AQTech, o que nos permitiu conquistar novos mercados e clientes, resultando no aumento exponencial do faturamento”, explica Sylvio Ramos Filho, CEO da empresa.

O exemplo mais recente disso é o OneBreeze, ferramenta inovadora criada pela área de pesquisa e desenvolvimento da AQTech que permite o monitoramento e diagnóstico de problemas em aerogeradores. A solução coleta dados como vibrações, acústica, qualidade do óleo e temperatura e integra as informações em um único sistema capaz de monitorar e diagnosticar defeitos em turbinas eólicas. A inovação permitiu a entrada da empresa no crescente mercado de geração de energia eólica.

Você pode gostar também
buy cialis online