Facebook aposta em realidade virtual e aumentada; entenda o que é

Investindo no futuro próximo, o Facebook anunciou a criação do Facebook Reality Labs, um laboratório focado no desenvolvimento das tecnologias de realidade virtual e realidade aumentada. O anúncio de Mark Zuckerberg certamente é um indicador de que essas tecnologias podem se tornar o principal foco para as interações digitais.

Investindo no futuro próximo, o Facebook anunciou a criação do Facebook Reality Labs, um laboratório focado no desenvolvimento das tecnologias de realidade virtual e realidade aumentada. O anúncio de Mark Zuckerberg certamente é um indicador de que essas tecnologias podem se tornar o principal foco para as interações digitais.

Saiba mais sobre as tecnologias de realidade e o envolvimento do Facebook com elas.

Qual a diferença entre realidade virtual e realidade aumentada?

Pensar rapidamente sobre as tecnologias de realidade aumentada e virtual pode fazer com que ambas pareçam iguais. Mas existem diferenças muito importantes entre as duas plataformas digitais. Enquanto a realidade virtual possui o objetivo de criar um universo sem elementos ou referenciais reais, a realidade aumentada busca trazer elementos do mundo e misturar com tecnologias. 

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Para facilitar o entendimento das diferenças, basta analisar o Pokémon Go, jogo de celular que tornou-se um fenômeno em 2016. O aplicativo utiliza a câmera do celular para capturar o mundo em que vivemos para inserir imagens virtuais do pokémons em ambientes reais. Portanto, a tecnologia utilizada no jogo é a realidade aumentada.

O histórico do Facebook com ambas as tecnologias

Mark Zuckerberg em foto promocional anunciando lançamento do Oculus Rift em 2016
O Facebook comprou a empresa Oculus em 2014 por US$ 2,3 bilhões. Fonte: Divulgação

O primeiro grande passo da empresa de Mark Zuckerberg ocorreu em 2014, quando o Facebook comprou a Oculus VR. Esta empresa fundada por Palmer Luckey, Brendan Iribe, Michael Antonov e Nate Mitchell desenvolveu o aparelho Rift, um headset de realidade virtual para videogames. O sucesso do protótipo do Rift em uma campanha de financiamento coletivo – que coletou US$ 2,4 milhões – atraiu Zuckerberg e rendeu uma oferta de US$ 2,3 bilhões em dinheiro e ações de Facebook para os fundadores da Oculus VR.

A empresa fez outro investimento em realidade virtual e aumentada apenas um ano depois do Facebook comprar a empresa revolucionária Oculus. Dessa vez, por meio de sua nova subsidiária, a empresa de Mark Zuckerberg comprou a Surreal Vision, uma startup com foco na mistura dos ambientes digitais e reais. Esse foi o primeiro passo do Facebook em direção aos objetivos de seu novo laboratório.

Em 2016, o Facebook lançou oficialmente uma versão do Oculus Rift para o consumidor. O primeiro produto em realidade virtual da empresa serviu, segundo Mark Zuckerberg, como um convite para “explorar os novos mundos ainda por vir”. Nesse sentido, a tecnologia também é o ponto de partida para os produtos futuros do Facebook.

O anúncio do novo laboratório do Facebook por Mark Zuckerberg

O anúncio do novo setor de tecnologia do Facebook veio pelo perfil de seu fundador, Mark Zuckerberg. No texto, o empresário explica que a empresa está unificando suas equipes de diferentes produtos de realidades virtual e aumentada em um novo laboratório. Dessa forma, o objetivo da fusão interna é o desenvolvimento de produtos que unam as duas tecnologias como uma aposta para o futuro das interações sociais.

“Se você me segue há algum tempo, já deve saber que acredito que as realidades aumentada e virtual serão as próximas grandes plataformas de computação e que elas podem nos fazer sentir mais próximos e presentes com os outros”, explica Zuckerberg em post. Mais à frente da publicação, explica que o apelo destas tecnologias está em permitir uma interação “que nenhuma outra tela ou plataforma de computação pode entregar”. Certamente, o empreendedor está apostando suas fichas (e do Facebook) no novo laboratório.

Alguns objetivos do Facebook Reality Labs

logo do Facebook Reality Labs, divisão focada em realidade virtual e realidade aumentada
O logo do Facebook Reality Labs. Fonte: Divulgação

Junto com o post de Mark Zuckerberg, uma página para o Facebook Reality Labs foi criada na rede social. Algumas postagens do perfil do laboratório já explicam alguns conceitos e objetivos da nova área do Facebook. Alguns dos destaques são:

  • Desenvolvimento de sistemas gráficos que consumirão menos energia dos equipamentos, mas sem comprometer a qualidade de imagem.
  • Criação de uma plataforma digital de trabalho que una realidade virtual e realidade aumentada. Com isso, surge a possibilidade de ambientes de trabalho infinitos e avatares de trabalhadores com a “sutileza da expressão humana”.
  • Melhorias da plataforma Spark AR, que permite edição de fotos e vídeos.

Mais detalhes sobre o Facebook Reality Labs serão divulgados em uma live oficial do  Facebook no dia 16 de setembro, mas você já pode conferir um vídeo demonstrando o avatares realista abaixo. Será que agora o fundador do Twitter vai querer usar os produtos do Facebook?

https://www.youtube.com/watch?v=ETaMzMyKsG0

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes