Internet 5G: confira quais as mudanças e benefícios da tecnologia

O Brasil caminha para avanços com a nova geração de rede de internet móvel. O leilão que acontecerá em 2021 trará mudanças para o cenário da tecnologia brasileira

0 361

Você já está familiarizado com a internet 5G? Não apenas uma evolução das gerações anteriores, faz parte da nova era da telefonia. Novo padrão de banda larga sem fio que proporcionará maiores velocidades, cobertura e recursos muito melhores que o atual 4G. São muitas mudanças e avanços que poderão ser feitas com a nova tecnologia. Além disso, o leilão que acontece em 2021 também está sendo alvo da mais nova Guerra Fria. Não entende do que estamos falando? Confira:

 

O que é o 5G?

O 5G é a nova geração de rede de internet móvel. A tecnologia promete uma velocidade de até 20 Gigabits por segundo, maior que as gerações anteriores. Além disso, também reduz em 90% de consumo de energia. Trará mais velocidade para downloads e uploads, cobertura mais ampla e conexões mais estáveis, além de objetos conectados e cidades inteligentes (internet das coisas).

A nova geração também responde a necessidade de comportar o crescente volume de informações. Essas são produzidas e consumidas diariamente por bilhões de dispositivos sem fio pelo mundo. As faixas de frequência estão cada dia mais congestionadas. O que também pode gerar falha nos serviços. Assim, o 5G vem para elevar muito mais as potencialidades da rede atual.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Com uma cobertura mais ampla e eficiente, permite maiores transferências de dados e número maior de conexões simultâneas. Usando o melhor espectro de rádio, será possível que mais aparelhos acessem a internet móvel ao mesmo tempo. Especialistas afirmam que o 5G permitirá que mais de 1 milhão de aparelhos se conectem por metro quadrado.

Porém, para se tornar realidade no Brasil é necessário superar a regulação e infraestrutura para permitir que a tecnologia se massifique.

Quais países usam 5G?

Países como Coreia do Sul, Áustria, Finlância, Austrália, China, Reino Unido e Estados Unidos já começaram a usar a tecnologia em 2020. Entretanto, no Brasil, o governo irá realizar um leilão para selecionar as operadoras que ficarão responsáveis pela oferta do serviço de conectividade. Quem lidera a briga no mercado brasileiro é a Claro, que começou a impulsionar em julho as primeiras redes 5G em bairros de São Paulo e Rio de Janeiro.

 

Benefícios da nova teconologia

Internet das coisas
Imagem: Mohamed Hassan por Pixabay

Portanto, a expectativa é que até 2025 haja 1,2 bilhão de conexões 5G no mundo. Acima de tudo, ele permitirá o desenvolvimento de tecnologias promissoras, como a internet das coisas e a telemedicina. Então, veja alguns benefícios:

  • Permite mais dispositivos conectados, com a internet das coisas e o crescimento da comunicação maquina a maquina;
  • Aumento da velocidade de conexão, um consumo mais complexo com menos dificuldades;
  • Menor latência (velocidade de resposta);
  • Maior capacidade de banda;
  • Com a internet das coisas diferentes tipos de dispositivos eletrônicos podem ser conectados em rede;
  • As máquinas também podem passar a ter monitoramento constante, através de algoritmos de inteligência artificial;
  • Agilidade de transferência de dados;
  • Desenvolvimento de sistemas automatizados de acompanhamento e gestão.

 

Além disso, o 5G pode alcançar re­giões que estão fora dos grandes centros. Os investimentos para implementação também são mais baratos que a fibra ótica. Ou seja, economia em recursos, podendo reduzir o fosso digital que existe no mundo

Porém, para o seu uso provavelmente precisaremos trocar nossos smartphones. A rede funciona apenas em aparelhos que suportam o 5G, como os celulares da linha Edge, da Motorola, lançados no Brasil em julho.

 

Leilão da Anatel será realizado em 2021

Preparado para acontecer em 2021 pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), o leilão que irá definir como as operadoras de telefonia poderão explorar as faixas de frequência. Na segunda etapa após o leilão, o 5G brasileiro começa a operar nas frequências de 3,5 GHz, que são mais altas do que o espectro em utilização para o 4G e são adotadas internacionalmente como o padrão para a tecnologia. Dessa forma, essa é uma oportuni­dade de o Brasil finalmente deixar de ser apenas um produtor de commodities para entrar no século 21.

 

Entenda a nova “Guerra Fria” e o 5G

Guerra Fria e 5G
Imagem: @morningbrew no Unsplesh

O Brasil se encontra no meio de uma disputa de viés político e ideológico. Existe um medo que a China controle as comunicações e os dados no futuro. Com efeito, a empresa chinesa Huawei, de produtos e infraestrutura de telecomunicações, é acusada pelo governo americano de espionagem, e sua participação no processo de implementação do 5G nos Estados Unidos e em parceiros comerciais poderá ser vetado. De fato, esse não é o único capítulo que inclui o que está sendo nomeado como a Guerra Fria, ou Guerra Fria 2.0. Isso envolve também os embates dos Estados Unidos contra o aplicativo Tik Tok, por exemplo. A briga se configura como uma disputa pelo domínio do mercado tecnológico, marcada pela 4ª Revolução Industrial.

Após as operadoras de telecomunicações conseguirem o direito de explorar a frequência, terão que colocar a infraestrutura. Portanto, a questão é a participação de empresas chinesas nesse processo. Todavia, as operadoras poderão ou não utilizar equipamentos produzidos pela Huawei. Assim, agora resta saber se o Brasil irá resistir às pressões dos Estados Unidos.

Informar Erro

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes