Conheça o Likee, o aplicativo que está roubando a cena do Tik Tok

Com 150 milhões de contas criadas pelo mundo no primeiro semestre, também enfrenta polêmicas relacionadas a usuários pedófilos

0 459

Após a tomada das medidas de isolamento, não há quem tenha deixado de escutar o nome TikTok. Porém, um novo aplicativo chamado Likee tem entrado em ascensão e se tornado um de seus principais concorrentes. A plataforma completou seus três anos de existência em julho deste ano.

O que é Likee?

Likee é um aplicativo de edição de fotos e vídeos que está chovendo com filtros exclusivos, adesivos e efeitos especiais que podem enlouquecer os usuários. Anteriormente conhecido como Like, este aplicativo permite que seus usuários tenham a liberdade de experimentar em suas fotos e vídeos o quanto quiserem! Não há limites para a expressão criativa e o Likee é a ferramenta perfeita para criar o conteúdo multimídia mais louco que você possa imaginar.

Com um crescimento rápido, teve 150 milhões de usuários registrados no primeiro trimestre de 2020. De julho até o começo de agosto, acumulou 7,25 milhões de downloads. A Sendor Tower o reconheceu, então, como um dos aplicativos mais populares do mundo. De acordo com seus números de julho de 2020, o app foi baixado 15 milhões de vezes na Play Store e 2 milhões de vezes na App Store.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

A Índia possuía o maior número de instalações. Todavia, em junho o país proibiu seu uso junto com o TikTok.

Aliás, qual a diferença para o Tik Tok?

O que faz Likee realmente se destacar de outros editores é sua infinidade de efeitos de vídeo. o app vai além com seus recursos de edição, pois pode mudar magicamente as cores do cabelo, utilizar a magia 4D e criar efeitos de superpotência que os usuários podem usar para criar um filme de sucesso.

 

Quem criou o Likee?

O fundador da empresa é o bilionário David Xueling Li, com sede em Guangzhou e ações negociadas na bolsa norte-americana NASDAQ, o que pode ser a relação que causou tal proibição pelo país carrega um sentimento anti-China. Quem desenvolveu o app foi a BIGO Technology, que pertence a empresa chinesa Joyy (YY).

 

Influência e recompensa no Likee

A experiência de utilização do app remete ao Tik Tok, a ferramenta de transmissão ao vivo do instagram e salas de chat do Zoom. Assim, nele você consegue abrir uma cota e criar seu perfil para fazer publicações de vídeos e fotos livremente. Além de receber mensagens, ter acesso a chats privados e livestreaming. 

Os influenciadores da rede também tem possibilidades de serem recompensados pelo seu conteúdo. Os usuários possuem uma carteira para guardar diamantes e feijões, as moedas que podem ser trocadas por dinheiro ou elementos do ‘jogo’. Isto é, cada 210 feijões são iguais a 1 dólar americano. Portanto, a audiência interage enviando presentes, que podem ser rosas, coroas, diamantes, cupidos ou outros. Quem acumula mais presentes avança no jogo, ou seja, eleva no ranking de streamings mais badalados da hora, e sobe de nível.

Imagem: tirachardz em Freepik

O modelo de recompensa já é algo aplicado pela empresa Joyy, que popularizou o fenômeno de presentes virtuais em lives, com seu site de streaming online yy.com.

De acordo com a matéria da TAB Uol, existe um processo de seleção para fazer parte dos Broadcasters do aplicativo, os influenciadores. Para fazer parte, deve-se preencher um formulário e realizar um teste em vídeo. Se você passar, recebe um contrato e um manual de instruções.

 

Perigos da rede: denúncias de pedofilia

A plataforma cresce, e o perigo também. Com efeito, o app se tornou alvo de pedófilos que buscam se aproximar de jovens. Como a conta no Likee é visível a todos, e o acesso aos vídeos vai de acordo com o algoritmo, alcançar os adolescentes não é uma tarefa difícil – ainda mais com a sua presença em pesona rede. Porém, também existe a opção de desativar comentários e mensagens privadas de estranhos.

Noticiado pelo G1, a mãe de uma menina de 12 anos descobriu que a filha recebia mensagens privadas de um homem que pedia fotos pessoais. Respondendo as mensagens e se passando pela filha, terminou recebendo uma foto do pênis de um homem. De acordo com os termos de uso, entretanto, o aplicativo é para maiores de 16 anos. O problema é que os jovens, responsáveis pela popularidade do app, não possuem dificuldades em ultrapassar essa barreira.

Informar Erro
Fonte Tech Crunch G1 TAB Uol

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes